16:49 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba

    'Houve quem reclamasse', Moro pede exoneração do cargo de juiz

    Rovena Rosa / Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    2413

    O juiz Sergio Moro pediu exoneração do cargo nesta sexta-feira (16) e seu requerimento foi aceito pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O magistrado que ficou conhecido pela Operação Lava Jato irá assumir o cargo de ministro da Justiça e da Segurança Pública no futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL).

    Moro estava de férias e trabalhava no planejamento de seu futuro cargo como ministro. Sua decisão de entrar de férias e não pedir exoneração foi alvo de críticas.

    O magistrado defendeu-se dizendo que "não enriqueceu" no serviço público e que precisava de seu salário como juiz. 

    Na nota em que pede sua exoneração, Moro reconhece que pretendia pedir sua exoneração em janeiro de 2019, mas "houve quem reclamasse que eu, mesmo em férias, afastado da jurisdição e sem assumir cargo executivo, não poderia sequer participar do planejamento de ações do futuro governo".

    "Embora a permanência na magistratura fosse relevante ao ora subscritor por permitir que seus dependentes continuassem a usufruir de cobertura previdenciária integral no caso de algum infortúnio, especialmente em contexto no qual há ameaças, não pretendo dar azo a controvérsias artificiais já que o foco é organizar a transição e as futuras ações do Ministério da Justiça", também escreveu Moro.

    O futuro ministro conta na nota que deixa a magistratura com "pesar".

    Mais:

    Mais Médicos: prefeitos pedem que Bolsonaro recue e que médicos cubanos fiquem no programa
    Ernesto Araújo é anunciado como chanceler do governo Bolsonaro
    Por 'desrespeito' de Bolsonaro, Cuba cancela participação no Mais Médicos
    Equipe de Bolsonaro estuda transposição do São Francisco
    TSE dá 3 dias para Bolsonaro explicar inconsistências nas contas da campanha
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Sergio Moro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik