18:05 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Programa Mais Médicos

    Saída de Cuba do Mais Médicos afeta 28 milhões de pessoas

    Karina Zambrana /ASCOM/MS
    Brasil
    URL curta
    1781

    A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) informou nesta quinta-feira que a saída de cubanos do programa Mais Médicos afetará 28 milhões de pessoas, informou Globo.

    O presidente eleito Jair Bolsonaro declarou esta semana que o governo cubano deixou o programa por não concordar com testes de capacidade.

    O ministério de Saúde Pública de Cuba, por outro lado, justificou a decisão com as "declarações ameaçadoras e depreciativas" de Bolsonaro. Ainda durante a campanha, Bolsonaro disse que pretendia expulsar os médicos cubanos do Brasil.

    "Entre os 1.575 Municípios que possuem somente médico cubano do programa, 80% possuem menos de 20 mil habitantes. Dessa forma, a saída desses médicos sem a garantia de outros profissionais pode gerar a desassistência básica de saúde a mais de 28 milhões de pessoas", afirmou a CNM em nota.

    Nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, declarou a Globo que a decisão do governo cubano é "hostil".

    "É uma decisão que o governo cubano já tomou, acho uma decisão hostil, sem cabimento", disse o ministro.

    Cuba envia médicos ao Brasil desde 2013. Pouco mais da metade dos médicos de 16 mil profissionais vieram de Cuba, segundo o portal da Globo G1.

    Mais:

    Mais Médicos: prefeitos pedem que Bolsonaro recue e que médicos cubanos fiquem no programa
    Ministério da Saúde abrirá edital para ocupar vagas de cubanos no Mais Médicos
    Por 'desrespeito' de Bolsonaro, Cuba cancela participação no Mais Médicos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik