13:31 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Hospital Alberto Schweitzer

    Ministério da Saúde abrirá edital para ocupar vagas de cubanos no Mais Médicos

    Ricardo Cassiano/ Prefeitura do Rio
    Brasil
    URL curta
    1253

    O Ministério da Saúde publicou uma nota nesta quarta-feira (14) informando que irá abrir edital para ocupar as vagas dos cubanos no programa Mais Médicos, após o governo cubano anunciar o encerramento da parceria no projeto.

    O programa Mais Médicos foi criado em 2013 durante o governo de Dilma Rousseff. O projeto consistia em uma ajuda de médicos cubanos para trabalhar no Brasil em áreas com poucos profissionais brasileiros. De acordo com o governo cubano, a saída do programa foi devido a "declarações ameaçadoras e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro.

    "O Ministério da Saúde recebeu nesta manhã [14] o comunicado da Organização Pan-Americana de Saúde [Opas], no qual o governo cubano informa que encerrou sua parceira no programa Mais Médicos. Diante do fato, o governo federal está adotando todas as medidas para garantir a assistência dos brasileiros atendidos pelas equipes da Saúde da Família que contam com profissionais de Cuba", diz a nota do Ministério da Saúde. 

    Segundo ele, "a iniciativa imediata será a convocação nos próximos dias de um edital para médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos". 

    "Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil seguida de brasileiros formados no exterior", diz o comunicado. 

    "O Ministério da Saúde reafirma e tranquiliza a população que adotará todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata", completou o Ministério. 

    Mais:

    Por 'desrespeito' de Bolsonaro, Cuba cancela participação no Mais Médicos
    STF mantém regras de pagamento diferenciado a cubanos do 'Mais Médicos'
    Mais médicos estão chegando ao local do acidente de avião militar russo
    Temer prorroga Mais Médicos por mais três anos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik