01:04 16 Fevereiro 2019
Ouvir Rádio
    Hospital Alberto Schweitzer

    Ministério da Saúde abrirá edital para ocupar vagas de cubanos no Mais Médicos

    Ricardo Cassiano/ Prefeitura do Rio
    Brasil
    URL curta
    0 53

    O Ministério da Saúde publicou uma nota nesta quarta-feira (14) informando que irá abrir edital para ocupar as vagas dos cubanos no programa Mais Médicos, após o governo cubano anunciar o encerramento da parceria no projeto.

    O programa Mais Médicos foi criado em 2013 durante o governo de Dilma Rousseff. O projeto consistia em uma ajuda de médicos cubanos para trabalhar no Brasil em áreas com poucos profissionais brasileiros. De acordo com o governo cubano, a saída do programa foi devido a "declarações ameaçadoras e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro.

    "O Ministério da Saúde recebeu nesta manhã [14] o comunicado da Organização Pan-Americana de Saúde [Opas], no qual o governo cubano informa que encerrou sua parceira no programa Mais Médicos. Diante do fato, o governo federal está adotando todas as medidas para garantir a assistência dos brasileiros atendidos pelas equipes da Saúde da Família que contam com profissionais de Cuba", diz a nota do Ministério da Saúde. 

    Segundo ele, "a iniciativa imediata será a convocação nos próximos dias de um edital para médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos". 

    "Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil seguida de brasileiros formados no exterior", diz o comunicado. 

    "O Ministério da Saúde reafirma e tranquiliza a população que adotará todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata", completou o Ministério. 

    Mais:

    Por 'desrespeito' de Bolsonaro, Cuba cancela participação no Mais Médicos
    STF mantém regras de pagamento diferenciado a cubanos do 'Mais Médicos'
    Mais médicos estão chegando ao local do acidente de avião militar russo
    Temer prorroga Mais Médicos por mais três anos