09:48 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Senado faz avaliação e aprova economista Ilan Goldfajn para presidência do Banco Central

    Presidente do Banco Central defende reformas e ajustes fiscais

    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    636

    O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, defendeu neste domingo, em Jerusalém, durante painel com economistas, a necessidade de seguir com reformas, iniciadas pelo governo Michel Temer.

    Segundo o economista, a reação dos países em desenvolvimento a eventuais choques externos depende de uma forte "frente doméstica".

    Ilan Goldfajn participou de discussões sobre o papel do Banco Central na economia.

    Para Goldfajn, os países em desenvolvimento sofrem com o que chama de "choques": a normalização da política monetária em economias avançadas e os conflitos comerciais.

    O presidente do Banco Central disse que as reações aos eventuais impactos causados pelos conflitos internacionais dependem dos fundamentos e medidas para atenuar os buffers.

    Na apresentação em Israel, Goldfajn fez uma análise histórica do regime de meta de inflação em vigor no Brasil desde 1999, observando a tendência e expectativa de queda também.

    Em um dos gráficos, Goldfajn mostrou que a tendência de queda na taxa de juros no país. Ao final, ele afirmou que "a economia global continua a crescer, mas as perspectivas se tornaram mais desafiadoras".

    Mais:

    Presidente do Banco Central da Argentina renuncia ao cargo
    Banco Central da Bolívia confirma meta do PIB e baixa previsão de inflação
    Autoridades registram incêndio no Banco Central da Rússia (FOTOS, VÍDEO)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik