18:27 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Fernando Haddad, candidato à Presidência pelo Partido dos Trabalhadores (PT), durante coletiva de imprensa no Rio de Janeiro.

    Haddad no Roda Viva: 'represento um projeto que precisa ser resgatado'

    © Sputnik / Solon Neto
    Brasil
    URL curta
    262110

    O candidato do PT à Presidência, Fernando Hadddad, participa nesta segunda-feira de entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura. O seu adversário Jair Bolsonaro (PSL) também foi convidado pelo programa, mas decidiu não comparecer ao debate.

    O segundo turno das eleições presidenciais acontece no próximo domingo (28). O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, vem liderando as pesquisas de intenção de votos. 

    Ordenar as mensagens
    • 00:02

      Fim da entrevista

      Fernando Haddad concedeu uma entrevista de 1h na noite desta segunda-feira (22) ao Roda Viva, da TV Cultura. Jair Bolsonaro também foi convidado, mas recusou todas as propostas de participação, inclusive por vídeo. 

    • 00:00

      Um ídolo: 'Juscelino'

    • 23:59

      Uma música: 'Fim da história, de Gilberto Gil, que tenho escutado muito ultimamente'

    • 23:58

      Um erro e uma lição: 'não ter feito uma reforma política'

    • 23:57

      Reforma bancária

      "Se nós não fizermos uma reforma bancária, nós nunca vamos nos tornar uma sociedade capitalista moderna, porque não existe sistema de crédito no Brasil", disse Hadadd.

    • 23:54

      A questão é sobre indulto ao ex-presidente Lula

      "Lula quer um julgamento justo e não um indulto", respondeu Haddad sobre possibilidade de conceder a soltura do ex-presidente. 

      "O que o presidente Lula quer é um julgamento justo nas cortes superiores a que ele tem direito. Ele não está pedindo favor nenhum, não quer ser tratado de forma diferente de nenhum cidadão", declarou. 

      Candidato a vice-presidente pelo PT, Fernando Haddad posa para foto com máscara do ex-presidente Lula em Brasília

      PT acena para uma campanha de Haddad mais descolada da imagem de Lula

      O senador eleito do PT, Jacques Wagner, afirmou nesta segunda-feira (9) que a campanha do presidenciável Fernando Haddad deve assumir uma postura mais independente e mudar a estratégia durante o segundo turno.
      Mostrar mais
    • 23:43

      Haddad diz que não pretende vender nenhuma estatal

    • 23:38

      Presidenciável é questionado sobre economia

      Entrevistador lembra que dólar cai e o mercado responde favoravelmente quando Jair Bolsonaro sobe nas pesquisas. Haddad tenta refutar questionamento, citando sua experiência no mercado. 

      "O mercado não funciona assim e há grandes especuladores que ganham muito dinheiro", diz Haddad, acrescentando que Bolsonaro vai vender as empresas  criadas pelo PT e vai vender uma empresa que administra mais de 40 hospitais públicos.

      "O Banco Central vai ter que fazer a reforma bancária. Vai ter que ser independente do mercado. Ou o Banco Central apresenta uma reforma bancária ou transfere pro Cade a responsabilidade de combater a concentração dos bancos." diz Haddad.

       

    • 23:35

      Haddad volta a dizer que deve alertar o Brasil sobre a ameaça à democracia

      "Meu adversário está defendendo a morte das pessoas e o seu filho quer declarar guerra a Venezuela, Numa campanha cabe alertar. Você  acha que os sociais democratas alemães erraram ao avisar sobre o perigo de Hitler assumir o poder?", afirmou. 

      Reprodução do programa eleitoral de Fernando Haddad (PT).

      Haddad é proibido de associar Bolsonaro à tortura em propaganda eleitoral

      Decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu neste sábado (20) o presidenciável Fernando Haddad (PT) de exibir um de seus programas de campanha em que associa Jair Bolsonaro (PSL) à tortura. A sentença é uma resposta à ação ajuizada pelo PSL.
      Mostrar mais
    • 23:31

      A hashtag #HaddadNoRodaViva entra no ranking dos assuntos mais comentados do Twitter

    • 23:30

      Denúncia de caixa 2 contra a campanha de Bolsonaro

      Haddad comenta as acusações de que a campanha do seu adversário usaria pagamentos ilegais para propagar notícias falsas pelo WhatsApp. 

      “Temos uma estimativa de cerca de 13 milhões de mensagens falsas contra mim e a minha vice patrocinadas por caixa dois”, afirmou.

       

      Ministros Admar Gonzaga e Jorge Mussi durante sessão plenária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 18 de outubro de 2018

      TSE define relator para processo contra Bolsonaro após denúncia sobre suposto Caixa 2

      O processo contra o deputado federal Jair Bolsonaro, candidato à presidência pelo PSL, com base em uma ação movida pela coligação adversária, liderada pelo PT, após uma denúncia divulgada ontem pela Folha de S. Paulo sobre supostos crimes eleitorais, terá como relator o ministro Jorge Mussi, corregedor-geral eleitoral, segundo decidiu o TSE.
      Mostrar mais
    • 23:23

      "O autoritarismo não nos interessa. Nem pela direita, nem pela esquerda. Tanto que os democratas estão em defesa da nossa candidatura", diz Haddad.

    • 23:19

      O assunto é a ausência de Ciro Gomes no segundo turno

      “Eu espero que ele dê um alô de onde ele estiver, porque é muito importante pro brasil que ele se manifeste publicamente”, diz Haddad.

    • 23:11

      O apresentador diz que foram feitos repetidos convites ao candidato Jair Bolsonaro, mas o presidenciável recusou todas as propostas de participar do programa.

    • 23:11

      Frente democrática em xeque

      Haddad argumenta que frente democrática não fracassou, lembrando que Marina Silva declarou apoio à sua candidatura nesta segunda-feira, e Cid Gomes e afirmou que "não há alternativa". Presidenciável também lembra "inconformismo" de FHC com a popularidade de Bolsonaro, tendo em vista o risco à democracia. 

    • 23:08

      Haddad fala que "alerta o povo brasileiro" sobre o adversário Bolsonaro

      Presidenciável petista lembra das declarações de Bolsonaro favoráveis à tortura, afirmando que ele representa um risco à democracia.

      "Estamos alertando o Brasil. Meu adversário tem como principal herói o mais bárbaro torturador da ditadura militar. Ele não respeita a redemocratização. As qualificações dele não o habilitam pra governar o país em uma democracia", diz Haddad. 

    • 23:06

      A primeira pergunta para Haddad é sobre a obra que o candidato sonha realizar para o país

      Fernando Haddad afirma que "trabalho e educação" são os principais pontos para um Brasil melhor. 

      "A nossa tradição é democrática. O PT nasceu, inclusive, de uma crítica à esquerda tradicional, rejeitando todas as experiências autoritárias de esquerda, dizendo que esse não é o caminho", disse.

    • 22:59

      A entrevista com o presidenciável Fernando Haddad (PT) começa em instantes

      O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, também foi convidado a participar do programa, mas decidiu não comparecer ao debate. 

    Mais:

    Haddad chama Bolsonaro de 'aberração' e desafia candidato do PSL
    Tags:
    entrevista, eleições, roda viva, PT, Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik