05:50 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Museu Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro, no dia seguinte após ser abalado pelo incêndio grande em 2 de setembro de 2018

    Museu Nacional batalha por R$ 100 milhões no orçamento de 2019

    © AFP 2018 / Mauro Pimentel
    Brasil
    URL curta
    Incêndio devora Museu Nacional do Brasil (16)
    411

    A direção do Museu Nacional está trabalhando pela inclusão de um valor entre R$ 50 milhões a R$ 100 milhões no Orçamento da União de 2019, com objetivo de iniciar a reconstrução do Palácio de São Cristóvão, destruído por um incêndio no dia 2 de setembro deste ano, informou Agência Brasil.

    Um mês após o desastre, o diretor do museu, Alexander Kellner, disse durante uma coletiva de imprensa que este seria o primeiro passo para a reabertura do museu em três anos.

    "Estamos junto ao Congresso Nacional vendo a possibilidade de uma dotação orçamentária que seja impositiva e que nos permita pelo menos fazer uma primeira obra de infraestrutura. Paredes, teto e coisas assim", disse Kellner.

    Esse valor não inclui a restauração de detalhes internos mais específicos, mas abarca toda a parte externa. 

    Segundo Kellner, a direção pretende manter o caráter histórico do palácio e preservar também sua tradição de exposições ligadas à história natural, mas precisará discutir o que será restaurado e o que precisará ser modernizado. 

    O Ministério da Educação deve destinar R$ 5 milhões para a elaboração de um projeto executivo, que será feito em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

    Enquanto isso, a empresa Concrejato foi contratada para escorar e cobrir a estrutura que restou do incêndio. A obra começou em 21 de setembro e tem prazo de seis meses para ser concluída. Com o escoramento, não haverá mais risco de desabamento e poderá ter início o trabalho de recuperação do acervo que foi soterrado pelos escombros e queimado no incêndio. Pesquisadores mantêm a expectativa de que parte dos itens pode ter sobrevivido à tragédia. Já a cobertura é necessária para proteger essas peças da chuva, informou Agência Brasil.

    Na noite do domingo, em 2 de setembro, por volta das 19h30 locais, fogo descontrolado abalou a primeira instituição científica na história do Brasil, Museu Nacional no Rio de Janeiro. De acordo com os cálculos, o acervo da instituição desfrutava de 20 milhões de itens com destaque especial dado à coleção egípcia, que começou a ser reunida ainda pelo imperador Dom Pedro I. Já que as chamas se irromperam após o fechamento do museu, estas acabaram não provocando nenhumas vítimas mortais, porém, o prejuízo cultural provocado pelo desastre sem razão estabelecida é de enormes proporções.

    Tema:
    Incêndio devora Museu Nacional do Brasil (16)

    Mais:

    MEC vai transferir R$ 8,5 milhões para o Museu Nacional
    'Efeito Museu Nacional': por que MPF exige fechamento de museus federais do Rio?
    Nova agência assume responsabilidade por reconstrução do Museu Nacional
    National Geographic quer ajudar Museu Nacional
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik