14:44 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à presidência do Brasil em 2018, durante evento da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) em São Paulo

    Bolsonaro desautoriza vice e diz que criticar 13° salário é 'ofensa à quem trabalha'

    © AFP 2018/ Miguel SCHINCARIOL
    Brasil
    URL curta
    3453

    Do hospital, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) recorreu ao Twitter para apagar o incêndio criado pelo candidato a vice-presidente em sua chapa, o general Hamilton Mourão. Falando na Câmara de Dirigentes Lojistas de Uruguaiana, Mourão disse que o 13° é uma "jabuticaba" brasileira e que o país precisa de uma "séria da reforma trabalhista".

    "Temos algumas jabuticabas que a gente sabe que é uma mochila nas costas de todo empresário. Jabuticabas brasileiras: 13º salário. Se a gente arrecada doze, como é que nós pagamos treze? É complicado, e é o único lugar em que a pessoa entra em férias e ganha mais, é aqui no Brasil. São coisas nossas, a legislação que está aí, é sempre aquela visão dita social, mas com o chapéu dos outros, não é com o chapéu do governo”, afirmou Mourão, segundo a revista Veja

    Bolsonaro escreveu em Twitter que 13° salário está previsto na Constituição e que criticá-lo é uma "ofensa à quem trabalha" e demonstra um desconhecimento da Constituição. 

    Este não é o primeiro desentendimento do núcleo de Bolsonaro. O guru econômico da chapa, Paulo Guedes, afirmou na semana passada que uma de suas propostas é a criação de um imposto nos moldes da extinta CPMF. Bolsonaro foi ao Twitter e descartou a hipótese. 

    Também não é a primeira vez que Mourão faz uma declaração que traz os holofotes para si. O general já afirmou que o Brasil herdou a "indolência" de índios e a "malandragem" de africanos e que casas com apenas mães e avós são "fábricas de desajustados".

    Tags:
    Antonio Hamilton Mourão, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik