20:05 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    PM no Rio de Janeiro.

    'Intervenção vende política de segurança, mas entrega só confronto', diz pesquisadora

    Mauro Pimentel
    Brasil
    URL curta
    Intervenção federal no Rio de Janeiro (45)
    105

    A intervenção federal na segurança pública do Estado do Rio de Janeiro completou sete meses nesta segunda-feira (17) e os números não são nada animadores. De positivo, houve a redução nos números de roubo de carga e de veículos. De negativo, as mortes em confrontos e tiroteios aumentaram significativamente.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, Walkiria Dutra, porta-voz do Observatório da Intervenção, disse que a Intervenção Federal, comandada pelo general de Exército Walter Souza Braga Netto, vendeu à população que "teria uma política de segurança pública", mas que no fim, segundo a pesquisadora, "só entregou confronto".

    "O que a gente observa nesses 7 meses é que essa lógica de conflito tem gerado números muito nocivos, para dizer que uma política de segurança pública a intervenção está deixando a desejar em vários aspectos, principalmente em ações de prevenção social", afirmou.

    Walkiria Dutra disse que a intervenção prometeu atuar no combate ao tráfico e na apreensão de armas, mas mesmo assim, números divulgados pelo próprio Gabinete de Intervenção mostram que entre fevereiro e junho, as forças de segurança apreenderam 232 fuzis, 24% a menos que nesse mesmo período em 2017.

    "As Forças Armadas acabaram entrando como um ator que reforçou essa lógica de confronto e confronto direto com os chamados traficantes. Uma lógica que a gente pode dizer quer é apreender drogas e apreender armas", disse.

    Além de um aumento grande no número de mortes em confronto com a polícia. Em agosto do ano passado, antes da Intervenção ser decretada, 70 pessoas morreram em confrontos com a polícia. Em agosto deste ano foram 175 mortes, quase seis por dia. Um aumento de 150%, o maior número já registrado pelo Instituto de Segurança Pública.

    "Uma redução do número de homicídios não pode corresponder a um aumento que a gente vê da letalidade policial", defendeu Walkiria.

    Já os chamados crimes contra o patrimônio caíram: roubo de carga (-20%), de veículos (-15%) e assaltos de rua (-16%) registraram redução em agosto.

    O site Fogo Cruzado registrou nos últimos sete meses mais de 5.800 tiroteios e disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Nesse mesmo período do ano passado foram pouco mais de 3.600.

    Segundo Walkiria Dutra, a Intervenção Federal tem atuado muito pouco em ações de inteligência das polícias.

    "Das 66 ações do Gabinete de Intervenção para serem entregues até dezembro a gente só tem 4 ações que são voltadas para lidar com a inteligência policial", completou.

    Tema:
    Intervenção federal no Rio de Janeiro (45)
    Tags:
    Intervenção Federal no Rio de Janeiro, violência policial, violência, armas, conflito, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik