07:36 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Fernando Haddad, candidato do PT a presidente, durante entrevista na rádio CBN, em São Paulo

    PT cancela ato de Haddad após confusão gerada por eleitores de Bolsonaro

    © Foto: Ricardo Stuckert
    Brasil
    URL curta
    12105

    O Partido dos Trabalhadores (PT) decidiu cancelar um ato previsto para esta tarde do candidato a presidência Fernando Haddad no auditório do Sindicato dos Armadores e da Indústria da Pesca de Itajaí e Região (Sindipi) devido a um tumulto provocado por eleitores do também candidato Jair Bolsonaro, do PSL, segundo informaram fontes locais.

    Haddad iniciou hoje a sua agenda no estado de Santa Catarina com um encontro para ouvir as reivindicações de lideranças do setor pesqueiro, ao lado de sua vice, Manuela D'Avila (‎PCdoB), e do candidato petista a governador Décio Lima. De acordo com a mídia catarinense, a entrega da lista de reivindicações estava programada para ocorrer no auditório do Sindipi, mas precisou ser transferida para o gabinete do presidente, a portas fechadas, depois que eleitores de Bolsonaro entraram no local, causando o tumulto.

    Do lado de fora, outro grupo de fãs do deputado federal pelo PSL organizou uma pequena, porém bastante barulhenta, manifestação contra o petista, obrigando a polícia a formar um cordão de isolamento. 

    Ainda segundo a imprensa local, Haddad disse ter visto o protesto com naturalidade, destacando a necessidade de se preservar o direito de todos se manifestarem.

    Mais:

    Polícia Federal ainda não descarta coautoria em ataque a Bolsonaro, diz ministro
    ‘Tem gente que acredita em saci': Toffoli rebate Bolsonaro sobre fraude nas urnas
    Bolsonaro e Haddad abrem vantagem na corrida presidencial, aponta CNT/MDA
    Grupo 'Mulheres Unidas contra Bolsonaro' volta a funcionar após ataque cibernético
    Haddad diz que não dará indulto a Lula
    Tags:
    manifestação, protesto, Décio Lima, Manuela D'Ávila, Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Itajaí, Brasil, Santa Catarina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik