03:52 15 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Ciro Gomes na abertura da II Semana de Políticas Públicas da UFABC, organizada pelo Centro Acadêmico de Políticas Públicas (CAPOL) e alunos do curso.

    Ciro diz que sai da política se Bolsonaro vencer eleições: 'desejo boa sorte e vou chorar'

    CC BY 2.0 / Murilo Silva / CAPOL
    Brasil
    URL curta
    22144

    O candidato à Presidência do PDT, Ciro Gomes, declarou que sairá da política se o candidato Jair Bolsonaro vencer as eleições.

    Ciro Gomes participou de uma sabatina promovida pelo jornal O Globo, Valor Econômico e Revista Época nesta terça-feira (12) durante cerca de 2 horas. 

    Ao responder sobre sua reação a uma eventual vitória de Bolsonaro, Ciro Gomes disse que desejaria boa sorte e sairia da política.

    "Vou desejar boa sorte a ele, cumprimentá-lo pelo privilégio e depois vou chorar. Eu saio da política. A minha razão de estar na política é confiar no povo brasileiro", afirmou. 

    O presidenciável também comentou suas diferençãs em relação ao candidato do PT, declarando que Fernando Haddad seria como uma "nova Dilma" na Presidência. 

    "O Brasil não aguenta outra Dilma nesse sentido de um pessoa assumir porque é indicada pelo Lula. Não podemos ter outro presidente por procuração", disse.

    "O Lula a gente tem que relativizar, porque ele está isolado. E, agora, o Lula está com um problema, porque morreram o Márcio Thomaz Bastos [ex-ministro da Justiça], o Luiz Gushiken [ex-ministro da Comunicação Social], está sem José Dirceu, perdeu dona Marisa. Hoje o Lula está cercado de puxa-saco e perdeu um pouco da visão genial que ele tem da realidade. Se ele estivesse solto, não teria permitido uma série de desatinos que estão sendo promovidos", acrescentou. 

    Mais:

    Ciro Gomes é sabatinado pelo Jornal Nacional
    Ciro Gomes sobre Bolsonaro: 'se não aguenta brincar, não desce pro play'
    Ciro Gomes é sabatinado pela Rede Record
    Ciro Gomes diz que é contra participação de Haddad nos debates presidenciais
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik