23:51 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Bolsonaro é atendido na Santa Casa de Juiz de Fora.

    Jair Bolsonaro é esfaqueado no interior de Minas Gerais (VÍDEO)

    © Foto : Reprodução/Redes Sociais
    Brasil
    URL curta
    Esfaqueamento de Bolsonaro (36)
    1013711

    O candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro foi esfaqueado em visita à cidade mineira de Juiz de Fora. O militar teve ferimentos superficiais na altura do abdômen e foi encaminhado para um hospital da região.

    Jair era carregado nos ombros de simpatizantes - algo que sempre faz durante atos de campanha - quando foi atingido. Segundo pessoas que presenciaram o atentado, Bolsonaro teve ferimentos leves e passa por uma cirurgia na Santa Casa de Juiz de Fora. Ele teria sido atingido no fígado e passa por cirurgia.

    Pelo Twitter, os filhos do candidato - Carlos, Flávio e Eduardo Bolsonaro - confirmaram que o candidato passa bem e pediram orações. O PSL ainda não se manifestou oficialmente sobre o atentado.

    Testemunho

    O estudante Arthur Barone, de 19 anos estava acompanhando a caminhada do candidato no momento do ataque. Em entrevista à Sputnik Brasil, Arthur afirma que viu o que pareceu ser uma tesoura na mão do atacante (a polícia confirmou ser uma faca). Ele estaria vestindo roupas pretas e não tinha identificação de partido. De acordo com as primeiras informações, o responsável pelo ataque seria Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos.

    Ainda segundo Arthur, o homem foi imediatamente imobilizado e agredido por apoiadores de Bolsonaro. A Polícia Militar interviu e, enquanto levava o suspeito para a viatura, precisou dar tiros para o alto para dispersar a multidão que tentava linchá-lo. Arthur também relata não ter visto sangue na roupa do candidato, embora ele tenha deixado o local aparentando sentir dor. 

    A Sputnik Brasil tentou contato com a Polícia Militar de Juiz de Fora, que confirmou ter prendido um homem sem confirmar a identidade. A Polícia Federal também se manifestou por meio de nota dizendo que o candidato era escoltado por quatro agentes e que vai instaurar um inquérito para apurar as circunstâncias do ataque.

    Reação dos presidenciáveis

    A notícia do ataque já circulou entre os demais candidatos à Presidência e alguns se manifestaram.

    Ciro Gomes (PDT) disse que repudia "a violência como linguagem politica e solidarizo-me com meu opositor. Exijo que as autoridades identifiquem e punam o ou os responsáveis por esta barbárie". Guilherme Boulos (PSOL) afirmou que "a violência não se justifica, não pode tomar o lugar do debate político. Repudiamos toda e qualquer ação de ódio e cobramos investigação sobre o fato".

    ​Marina Silva defendeu a necessidade de "zelar com rigor pela defesa da vida humana e pela defesa da vida democrática e institucional do nosso País. Este atentado deve ser investigado e punido com todo rigor. A sociedade deve refutar energicamente qualquer uso da violência como manifestação política". Alckmin e Haddad também repudiaram atos de violência e pediram investigação do atentado. O candidato do MDB, Henrique Meirelles, fez coro aos rivais desejando "pronta recuperação" a Bolsonaro, lamentou "qualquer tipo de violência" e defendeu a necessidade de "equilíbrio", "serenidade" e "paz" para apaziguar o Brasil.

    Tema:
    Esfaqueamento de Bolsonaro (36)
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Juiz de Fora
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik