18:00 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Michel Temer, presidente de Brasil

    ONU critica governo Temer por cortes e aumento da mortalidade infantil

    © REUTERS / Adriano Machado
    Brasil
    URL curta
    310

    O escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) divulgou um relatório nesta sexta-feira que critica a conduta das políticas sociais e de inclusão do Brasil e, nesse sentido, o Ministério de Relações Exteriores do Brasil emitiu uma declaração refutando essas declarações.

    "As pessoas que vivem em situações de pobreza e outros grupos marginalizados estão sofrendo desproporcionalmente, como resultado das medidas econômicas rígidas em um país outrora considerado progressistas para reduzir a pobreza e promover políticas de inclusão social", disse um grupo de especialistas do ACNUDH em comunicado difundido pela rede social Twitter.

    Especialistas da ONU afirmaram que houve "cortes drásticos" nos orçamentos de programas que beneficiam as pessoas que estão na pobreza e destacaram a falta de investimento por parte do governo nas áreas de saúde e educação.

    O relatório também descreveu como negativo o aumento da mortalidade infantil no país, em grande parte devido a infecções pelo vírus Zika.

    O Ministério de Relações Exteriores refutou as críticas em um comunicado publicado em seu site, na qual ele disse que os ajustes na economia brasileira beneficiam a população de baixa renda e recordou que, sem equilíbrio fiscal, é impossível manter as políticas sociais.

    O ministério salientou que o governo brasileiro "mantém uma estreita cooperação com os procedimentos especiais do Conselho de Direitos Humanos" da Organização das Nações Unidas.

    Da mesma forma, a pasta afirma que respondeu de maneira transparente o mais rápido possível às suas demandas.

    Mais:

    Após corte massivo de bolsas, 33 entidades científicas enviam carta a Michel Temer
    Temer teve demandas 'públicas e privadas' atendidas por empresários, diz PF
    Índice de desaprovação de Temer bate novo recorde, diz pesquisa
    Tags:
    austeridade, pobreza, mortalidade infantil, direitos humanos, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), Itamaraty, ONU, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik