15:53 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Plataforma da Petrobras

    Nova lei pode fazer Petrobras abrir mão de 3 bilhões de barris de petróleo

    Agência Petrobras
    Brasil
    URL curta
    714

    Projeto de lei já aprovado pela Câmara dos Deputados permite que a Petrobras transfira para outras empresas até 70% de seu direito de exploração de áreas do pré-sal sob o regime de cessão onerosa. A medida ainda precisa ser aprovada pelo Senado e sancionada pela Presidência da República.

    O PL 8939/17, de autoria do deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA), argumenta que a Petrobras está em dificuldades financeiras para fazer investimentos que garantem a viabilização do pré-sal. 

    O objetivo é fazer com que áreas do pré-sal que foram transferidas da União para a Petrobras em 2010 sejam vendidas para a iniciativa privada. Na ocasião, a Petrobras pagou ao Tesouro Nacional R$ 74,8 bilhões.

    A Petrobras argumenta, contudo, que pagou um preço excessivo pelo direito de exploração do petróleo na região e quer rever sua prioridade.

    O consultor legislativo Paulo César Lima, que elaborou estudo técnico sobre o PL, não concorda com a mudança.

    "Isso pra mim não faz o menor sentido. De 2010 para cá, as condições só melhoram. Os poços têm um custo de perfuração muito menor, a produtividade do pré-sal é muito mais alta do que a esperada. Para falar a verdade, na minha opinião, a União é credora, mas não é essa a visão, infelizmente, do Ministério de Minas e Energia. E tudo encaminha para a União ser devedora da Petrobras", afirma Lima à Sputnik Brasil.

    Ele argumenta que caso a alteração seja sancionada, o Brasil estará abrindo mão de cerca de 3 bilhões de barris de petróleo. 

    Mais:

    Petroleiros entram na Justiça contra privatrização de quatro refinarias da Petrobras
    Rodrigo Maia defende 'diminuição' do tamanho da Petrobras: 'Não pode ser única'
    Ivan Monteiro é eleito presidente da Petrobras
    Moreira Franco diz que troca de comando na Petrobras não altera política de preços
    Tags:
    Petrobras, José Carlos Aleluia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik