21:55 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    José Dirceu em Brasília, em 2014

    STF decide pela libertação de José Dirceu

    © Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    346

    A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje, por 3 votos a 1, pela libertação do ex-ministro petista José Dirceu, condenado a 30 anos e 9 meses de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa no âmbito da operação Lava Jato.

    Com essa decisão, proposta pelo ministro do Supremo Dias Toffoli e apoiada por Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, Dirceu, que foi um dos nomes mais fortes do PT durante muitos anos, poderá aguardar o julgamento de recurso no Superior Tribunal de Justiça em liberdade. Edson Fachin votou contra.

    A notícia dividiu opiniões no meio político. Enquanto alguns elogiaram a postura do STF, outros não viram sentido na decisão da corte. 

    Embora a jurisprudência do STF permita a execução provisória da pena após condenação em segunda instância, a Segunda Turma viu uma plausibilidade jurídica nesse caso específico, no recurso da defesa apresentado STJ contra a condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

    Além de Dirceu, também foram beneficiados pela decisão o ex-tesoureiro do PP João Claudio Genu e o lobista do MDB Milton Lyra, que já havia sido solto em maio por uma liminar de Gilmar Mendes. 

    Mais:

    José Dirceu se entrega à Justiça em Brasília
    Tags:
    Operação Lava Jato, STJ, Supremo Tribunal Federal (STF), PP, MDB, PT, Milton Lyra, João Cláudio Genu, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, José Dirceu, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik