06:19 22 Junho 2018
Ouvir Rádio
    José Maria Rangel, coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP)

    Petroleiros paralisam refinarias da Petrobras por mudança nos preços da estatal

    © Sputnik / Solon Neto
    Brasil
    URL curta
    761

    Nesta quarta-feira teve início uma greve de 72h dos petroleiros. O protesto foi proibido pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), que declarou a greve ilegal.

    A greve nacional paralisou refinarias da Petrobras em pelo menos 6 estados do Brasil: São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Amazonas, Rio Grande do Sul e Paraná.

    Quem organiza a greve é a Federação Única dos Petroleiros (FUP). Eles reivindicam a diminuição dos preços do combustível e do gás de cozinha, a destituição de Pedro Parente e a mudança da política de preços da Petrobras. A greve deve prosseguir até a meia noite de sexta-feira (1), totalizando 72 horas.

    Petrobras mostra recuperação no balanço do segundo semestre
    Tânia Rêgo/Agência Brasil/Fotos Públicas
    Segundo a FUP, não há risco de desabastecimento, pois a greve dos caminhoneiros fez com que as reservas dos tanques das refinarias se mantivessem cheias.

    A Petrobras também se declarou nesse sentido, afirmando que não houve nenhum impacto na produção, apesar das paralisações.

    Estariam parados, segundo a FUP, os terminais de Remam (AM), Abreu e Lima (PE), Regap (MG), Duque de Caxias (Reduc, RJ), Paulínia (Replan, SP), Araucária (Repar, PR), Refap (RS), Fábrica de Lubrificantes do Ceará (Lubnor), Araucária Nitrogenados (Fafen-PR), unidade de xisto do Paraná (SIX), Suape (PE), Paranaguá (PR), Bacia de Campos (RJ).

    Apesar das paralisações, parte das refinarias continua funcionando devido a não adesão de todos os funcionários. 

    Repressão no Rio Grande do Sul

    Na cidade de Canoas (RS), a Brigada Militar lançou bombas de efeito moral contra os manifestantes na manhã desta quarta-feira (30). Os manifestantes bloqueavam a BR-116 e foram levados para a calçada, em frente à Refinaria Alberto Pasqualini.

    Protestos no Rio de Janeiro

    Na tarde desta quarta-feira (30), dois protestos estão marcados para acontecer na capital carioca. Uma em frente à sede da Petrobras e outra no largo da Carioca, com marcha em direção ao prédio da estatal. 

    Mais:

    Crise da gasolina: ex-diretor da Petrobras explica flutuação nos preços dos combustíveis
    Petrobras corta preço e mercado reduz projeção do PIB para 2018
    America first! Engenheiros da Petrobras criticam política de preços da estatal
    Petrobras corta preço da gasolina pelo terceiro dia seguido
    Petrobras anuncia redução temporária no preço do diesel
    Tags:
    greve dos petroleiros, Petrobras, Pedro Parente, Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco, Paraná, Ceará, Minas Gerais, Amazonas, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik