18:03 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestação de caminhoneiros no Rio de Janeiro como parte de mobilização nacional da categoria contra os preços altos dos combustíveis no Brasil.

    Situação que levou ao impeachment de Dilma se repetiria no Brasil?

    © Sputnik / Solon Neto
    Brasil
    URL curta
    12171
    Nos siga no

    O analista político Jeferson Miola comentou a situação crítica provocada pela greve de caminhoneiros no Brasil.

    Para ele, a atual situação no Brasil se deve ao aumento dos preços do combustível, que foi provocada "pela decisão do governo de Temer de, por um lado, privatizar a Petrobras e vários ativos da empesa e, por outro lado, por uma mudança na política de preços que deixou de acompanhar uma visão ligada ao desenvolvimento interno do país para depender do preço em dólares dos combustíveis", explicou Miola à Sputnik Mundo.

    "A greve confronta-nos com uma realizada perturbadora. Ninguém sabe prever o interesse que está por trás da greve de caminhoneiros para além da exigência de redução dos preços dos combustíveis", sublinhou ele.

    "Em março-abril de 2015, quando começou o segundo mandato da presidente Dilma, os caminhoneiros e os mesmos atores que estão à frente desta greve começaram um fortíssimo movimento que tinha naquele momento um caráter político de desestabilizar e criar condições para acelerar o processo de impeachment. São muito semelhantes os processos, mas acredito que os objetivos são diferentes", disse o analista.

    "Hoje, por um lado, o movimento se aproveita da fraqueza de um governo que não tem legitimidade alguma para governar o país e, por outro lado, está invocando saídas para o impasse que vive o país", concluiu ele.

    Mais:

    Opinião empresarial e sindical: Greve dos caminhoneiros é meramente política
    Governo e caminhoneiros chegam a acordo
    Tags:
    greve, caminhoneiros, Dilma Rousseff, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar