21:51 23 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixa Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, para seguir à prisão.

    'Manda este lixo janela abaixo', teria dito operador de voo que levou Lula (ÁUDIO)

    © REUTERS / Leonardo Benassatto
    Brasil
    URL curta
    Lula preso na PF de Curitiba (15)
    23918

    Vazou neste domingo (8) o áudio do voo que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para Curitiba, revelando ofensas antipetistas por parte de suposto operador de voo.

    "Leva e não traz nunca mais", afirmou um possível operador de voo ao piloto da aeronave da Polícia Federal que conduziu Lula. 

    Em seguida, uma outra voz pede que a comunicação trate apenas do necessário. "Vamos tratar só do necessário. Vamos respeitar o nosso trabalho aqui", diz a voz.   

    "Eu respeito mas manda este lixo janela abaixo aí", respondeu a voz de um homem. 

    A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou que a conversa ocorreu antes da decolagem do avião da Polícia Federal que levou Lula a Curitiba. A gravação foi divulgada pelo portal R7. 

    "Podemos assegurar que a observação ao final do áudio em questão não foi feita pelo controlador de tráfego aéreo. Ressalva-se que a frequência utilizada para essas comunicações aeronáuticas é aberta, por isso quem estiver conectado pode ouvir e falar. Porém, as regras de tráfego aéreo orientam que os usuários se identifiquem, o que evidentemente não ocorreu neste caso", diz a nota da FAB. 

    Tema:
    Lula preso na PF de Curitiba (15)

    Mais:

    'Não vamos sair daqui enquanto não sairmos com o Lula', diz Gleisi Hoffmann
    Bombas disparadas pela PF contra manifestantes pró-Lula deixam 8 pessoas feridas (FOTOS)
    Lula desembarca em Curitiba e segue para sede da Polícia Federal
    Manifestantes bloqueiam entrada de Aeroporto para impedir prisão de Lula
    Tags:
    voo, condenação, prisão de lula, Polícia Federal - PF, Luiz Inácio Lula da Silva, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik