00:52 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Itaipu é uma das seis usinas que integram o Grupo Eletrobras

    Especialista revela qual recurso crucial o Brasil corre o risco de perder

    Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional/Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    6131

    A cidade de Brasília recebe desde o último domingo (18) até a próxima sexta-feira (23) o 8º Fórum Mundial da Água. Considerado o principal encontro para debater o uso de recursos hídricos no planeta, essa é a primeira vez que o evento acontece no Hemisfério Sul. A expectativa é que cerca de 40 mil pessoas passem pela cidade durante o fórum.

    Para debater justamente o uso de recursos hídricos no planeta, a Sputnik Brasil conversou com o Marcus Vinicius de Freitas, especialista em políticas públicas e professor de Relações Internacionais da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

    Freitas afirma que temos que usar os recursos de forma que garanta que as próximas gerações continuem fazendo uso deles.

    "O que nós vemos em toda essa história é que as gerações atuais têm deixado o mundo pior do que encontraram, tem deixado uma fatura de cartão de crédito para o futuro. A gente deveria estar usando os recursos como se fossem no cartão de débito, no sentido de que nós gastamos agora para repor agora. Essa preocupação que sempre deve permear a nossa cabeça", disse o professor.

    Além da água como um recurso de uso pessoal, ela também é um importante componente econômico e político para os países. Marcus Vinicius de Freitas destacou, por exemplo, que a escassez de água no caso do Brasil pode prejudicar diretamente o agronegócio, uma dos principais componentes do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

    "Quando a gente olha para grande produção do Brasil, que é centrada em agricultura e a agropecuária, nós estamos basicamente falando de três recursos: terra, que nós temos em abundância, Sol que felizmente o Brasil também tem muito Sol e o terceiro fator é a água. Então se não cuidarmos deste terceiro elemento, nós corremos o risco de só termos terra e sol e não conseguirmos manter a produtividade que nos permita continuar como um país competitivo numa área que nós temos uma grande vantagem", afirmou.

    Durante o 8º Fórum Mundial da Água a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, lembrou que 90% da população mundial depende de recursos hídricos transfronteiriços e que há risco de haver conflitos no mundo em decorrência da escassez de água.

    Marcus Vinicius de Freitas alertou para o fato do Brasil não fazer o uso correto da água por conta do alto índice de desmatamento e poluição.

    "No caso brasileiro a questão da água é complicada pelo fato de que existe muita poluição, um problema enorme de falta de saneamento básico e isso vai causando um estresse hídrico em todo o cenário brasileiro. Além disso, o desmatamento que tem ocorrido no Brasil também é um fator de preocupação porque com o desmatamento vão as nascentes e toda essa questão de surgimento de água potável no Brasil vai de alguma forma diminuindo", completou.

    Ouça a entrevista completa:

    Mais:

    1ª cidade no mundo com chances de ficar sem água faz de tudo para evitar catástrofe
    Indústrias tiram água do povo no México; qual será o resultado?
    Cheio de obstáculos: esquiador aquático quase colide com tubarão saltando da água (VÍDEO)
    Balde de água fria: 'Não temos intenção de falar com os EUA', diz Coreia do Norte
    Tags:
    crise hídrica, água, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik