10:42 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Rompimento de barragem em Mariana provocou danos ambientais imensuráveis

    Barragens de rejeitos na Grande BH são interditadas por 'risco iminente de rompimento'

    Fred Loureiro/ Secom ES
    Brasil
    URL curta
    0 30

    A Companhia Siderúrgica Nacional foi obrigada judicialmente a interditar duas barragens de Rio Acima, a 37 quilômetros de Belo Horizonte. A liminar foi concedida depois de o Ministério Público Estadual apontar "risco iminente e elevado de gravíssimos danos sociais e ambientais".

    A CSN agora tem um prazo máximo de 15 dias para apresentar planos de emergência e segurança para as barragens, que ficam na região da bacia do Rio das Velhas. Controlada a situação de urgência, a CSN também terá que elaborar uma forma de encerrar a utilização dos locais.

    De acordo com o MP, as barragens foram construídas em modelo de alteamento, que custa menos mas também tem maiores riscos relacionados à erosão, assoreamento e liquefação do solo. Laudos técnicos realizados pela Fundação Estadual de Meio Ambiente comprovaram que não havia estabilidade hidráulica e geotécnica na área, além de serem identificados vazamentos na barreira de contenção.

    Por nota, a Minérios Nacional, vinculada à CSN, diz que já está realizando obras de reparo e que já realizou treinamento de emergência com funcionários e a população com os procedimentos em caso de rompimento.

    A fiscalização de barragens de minério — uma das principais fontes de receita em Minas Gerais — foi reforçada após o rompimento do complexo de Bento Rodrigues em novembro de 2015. O acidente causou 19 mortes e afetou 39 cidades no estado.

    Tags:
    minério, barragem, Companhia Siderúrgica Nacional, Minérios Nacional, Fundação Estadual de Meio Ambiente, Ministério Público do Estado de Minas Gerais, Rio Acima, Rio das Velhas, Minas Gerais, Belo Horizonte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik