04:14 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2120
    Nos siga no

    O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, determinou a intimação do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, após ele ter declarado que antecipou o resultado de um inquérito policial que investiga o presidente Michel Temer.

    Em despacho deste sábado (10), Barroso, que é relator do caso no STF, afirma que quer ouvir Segóvia para que ele "confirme as declarações" publicadas e "se abstenha de novas manifestações a respeito".

    Em entrevista concedida ontem (9) à Agência Reuters e divulgada no portal da empresa, Segovia afirma que os "indícios são muito frágeis" e sugere que o inquérito "pode até concluir que não houve crime".

    De acordo com Barroso, como a investigação não foi concluída e ainda há "diversas diligências pendentes", o assunto não deveria ser "objeto de comentários públicos". As informações foram divulgadas pela Agência Brasil.

    Temer é investigado por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro por ter, supostamente, recebido vantagens indevidas de uma empresa para editar o chamado Decreto dos Portos.

     

    Mais:

    Polícia Federal deve pedir arquivamento de investigação sobre Temer
    Renan Calheiros critica Temer e Reforma da Previdência (VÍDEO)
    Temer a pique: 90 dias para aprovar reforma da Previdência
    Pressão sobre Temer: Rodrigo Maia impõe data limite para reforma da Previdência
    Temer diz que não 'jogou a toalha' quanto a aprovação da reforma da Previdência
    Tags:
    Luis Roberto Barroso, Michel Temer, investigação, corrupção
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar