05:39 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 0 0
    Nos siga no

    O juiz Roberto Câmara Lacé Brandão, da 31ª Vara Criminal, determinou o relaxamento da prisão de Amarildo Gomes da Silva, filho do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, assassinado na Rocinha em 2013, cujo corpo não foi encontrado até hoje.

    De acordo com o juiz, o prazo da prisão preventiva foi extrapolado, já que o Ministério Público estadual ainda não apresentou na denúncia as provas que justifiquem a permanência de Amarildo na cadeia.

    O rapaz foi preso em flagrante em outubro de 2017, e denunciado por posse de drogas e de arma e de associação ao tráfico.

    Na decisão, determinando a soltura do réu, o juiz Roberto Câmara observa que, "passados mais de três meses, a prova oral acusatória sequer foi iniciada, sendo que as delongas na instrução não podem ser atribuídas nem ao réu, nem a sua defesa técnica. A custódia cautelar sendo mantida nessas condições, estaria a ensejar inegável constrangimento ilegal por excesso de prazo”.

    O Caso Amarildo

    Amarildo Dias de Souza era um ajudante de pedreiro que está desaparecido desde o dia 14 de julho de 2013, após ter sido detido por policiais militares e conduzido da porta de sua casa, na Favela da Rocinha, em direção a sede da Unidade de Polícia Pacificadora do bairro.

    Seu desaparecimento tornou-se símbolo de casos de abuso de autoridade e violência policial e ganhou repercussão em toda sociedade brasileira.

    Em 2016, a juíza Daniella Alvarez Prado, da 35ª Vara Criminal da Capital, condenou 12 dos 25 policiais militares denunciados pelo desaparecimento e morte do ajudante de pedreiro.

    Tags:
    Rio de Janeiro, Amarildo, Amarildo de Souza, desaparecimento forçado, policiais, violência policial
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar