12:57 26 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Exército na Rocinha

    Rio de Janeiro registra 22 tiroteios por dia no último mês

    © Foto : Tânia Rêgo/Agência Brasil/ Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    240

    A região metropolitana do Rio de Janeiro teve ao menos 22 tiroteios por dia no mês de janeiro. O número representa um crescimento de 117% no quantidade de registros em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 688 notificações em janeiro de 2018, contra 317 no ano anterior.

    O levantamento foi apresentado nesta quinta-feira pelo aplicativo colaborativo Fogo Cruzado. Durante o período foram registradas 146 mortes por arma de fogo e 158 feridos. Destes totais, 11 agentes de segurança foram mortos e 31 feridos.

    O Rio de Janeiro foi o município da região metropolitana que mais registrou tiroteios/disparos de arma de fogo (417), seguido de São Gonçalo (69) e Niterói (46).

    Em área de UPP foram 207 registros de tiroteios/disparos de arma de fogo e as UPPs de Cidade de Deus e Rocinha são campeões de registros, com 46 e 23 notificações cada.

    O município do Rio de Janeiro registrou ao menos 61 vítimas fatais em tiroteios/disparos de arma de fogo.

    Foram registradas 2 chacinas: uma no Vale do Ipê, em Belford Roxo, com 4 mortos (2 deles, adolescentes) e outra em Granjas Cabuçu, Itaboraí, com 5 mortos (1 deles, adolescente).

    Desde que entrou em operação, em 05 de julho de 2016, este é o maior número já registrado pela plataforma que mapeia de forma colaborativa a violência armada na região metropolitana do Rio de Janeiro.

    Mais:

    Linha Amarela volta a ficar fechada após tiroteio pelo segundo dia consecutivo (VÍDEOS)
    Protestos e tiroteios causam caos na Linha Amarela após morte de 3 pessoas no Rio (VÍDEO)
    Exército vai ao Rio Grande do Norte e pode continuar no Rio de Janeiro até o fim de 2018
    Hell de Janeiro: crescente onda de violência no Rio transforma a cidade em inferno
    Tags:
    baleada, assassinatos, morte, tiroteio, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar