22:15 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Michel Temer reage a uma réplica durante um encontro sobre a modernização do metrô de Brasília, em 22 de janeiro de 2018

    'Às vezes as pessoas não vão com a minha cara', diz Temer sobre rejeição popular

    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Brasil
    URL curta
    912
    Nos siga no

    Foi divulgada uma nova pesquisa pelo instituto Datafolha nesta quarta-feira (31) sobre a avaliação do governo Temer. De acordo com o estudo, 70% dos entrevistados consideram o governo ruim ou péssimo, enquanto apenas 6% o avaliam como bom.

    O presidente Michel Temer declarou nesta quarta-feira (31), em entrevista à Rádio Metrópole, da Bahia, que a baixa popularidade de seu governo acontece porque as pessoas "não vão com a sua cara". 

    "Às vezes, as pessoas não vão com a minha cara. Dizem 'não vou com a cara desse Temer'. Não tem problema. O problema é analisar de maneira fria o que está sendo feito no meu governo. Pegamos uma recessão medonha", disse ele. 

    De acordo com a mais recente pesquisa do Datafolha, 70% dos entrevistados classificaram o governo de Michel Temer como ruim ou péssimo; 22% avaliam como regular; 6% como bom ou ótimo; e 2% não souberam responder. O estudo foi feito com 2.826 pessoas em 174 cidades em 29 e 30 de janeiro. 

    Em entrevista concedida à Folha em 20 de janeiro, Michel Temer havia afirmado que não iria tolerar acusações de que estaria envolvido em "falcatruas". 

    "Este ano, não vou tolerar acusações de que estou envolvido em falcatruas. Estou combatendo isso. São acusações falsas. As pessoas que disseram isso estão na cadeia ou desmoralizadas", disse o presidente.

    Mais:

    Articulador de Temer vê 'momento positivo', mas admite não haver votos para Previdência
    Reforma da Previdência ainda pode sofrer mudanças, diz Temer
    Temer diz que seria melhor se Lula fosse candidato
    Temer chega a Davos e comenta julgamento de Lula: 'pode roubar a cena'
    Tags:
    rejeição, governo, popularidade, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar