12:13 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Luciano Huck no Brazilian Day in Miami (foto de arquivo)

    Após declarar não ser candidato, Luciano Huck pede para aparecer em pesquisas eleitorais

    © flickr.com/ Justo Ruiz
    Brasil
    URL curta
    13110

    De acordo com a coluna Painel da Folha de S. Paulo, o apresentador Luciano Huck, realizou uma reunião com o diretor do Ibope, Carlos Augusto Montenegro e pediu para continuar sendo incluído nas pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais deste ano. Em novembro, Huck já tinha convocado coletiva negando que se candidataria.

    Segundo a Folha, Luciano foi para a reunião munido de estatísticas que mostravam a dificuldade para nomes de centro se firmarem como candidatos viáveis à Presidência. O apresentador é um dos líderes do movimento Agora! que prega a renovação política.

    Procurado pelo jornal, o diretor do Ibope não confirmou se a reunião aconteceu ou não, mas defendeu a manutenção do nome de Huck nas pesquisas realizadas pelo instituto usando o ex-presidente Lula como exemplo.

    "Por enquanto tudo é especulação. Não se sabe se o Lula poderá ser candidato –é muito provável que ele não seja–, mas o nome dele está em todas as listas […] Até 6 de abril as pessoas precisam deixar cargos e escolher partidos. Teremos um quadro melhor nessa data. Até lá estaremos fazendo pesquisas e teremos simulações, algumas com o Luciano Huck", disse.

    No fim do ano passado, o apresentador participou de um evento organizado pela revista Veja para negar os rumores de que seria candidato à presidência. Na ocasião, ele disse que "nunca seria político". Huck, porém, afirmou ainda que percebeu que sua voz "está mais alta" e que gostaria de usar a influência que tem "para potencializar de um jeito bacana pra todo mundo. Como a gente pode contribuir para ter um país mais legal".

    Mais:

    'Salvador da pátria': aprovação de Huck atinge 60% e Lula provoca 'candidato da Globo'
    Luciano Huck não tem partido, mas já sonha com 'ministério de notáveis' caso seja eleito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik