03:29 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Congresso Nacional

    'A missão do Congresso é garantir e ampliar direitos, e não retirá-los'

    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Brasil
    URL curta
    560

    Para se mobilizar contra a retirada de direitos pelo Congresso Nacional, a Anistia Internacional organizou a campanha "Direitos Não Se Liquidam" e coletou mais de 20 mil assinaturas. A Sputnik Brasil entrevistou a diretora executiva da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck, para entender o que está em jogo.

    A iniciativa chamou atenção para mudanças legislativas como a PEC 181, que pretende proibir o aborto até mesmo em casos de gravidez causada por estupro, e a possível revogação do estatuto do desarmamento. "A missão do Congresso é garantir e ampliar direitos e não retirá-los", diz Jurema.

    "A crise política que estamos vivendo, a crise institucional e econômica estão servindo como uma cortina de fumaça que estava impedindo a população de ver o que está acontecendo."

    Jurema ressalta que a pressão popular rende resultados já que a votação da PEC 181, por exemplo, foi adiada e ainda não tem uma nova data. Ainda assim, ressalta a diretora executiva da Anistia Internacional, a população precisa ficar alerta já que apesar da suspensão temporária, é o mesmo Congresso que retornará às atividades em 2018.

    "A população precisa lembrar que na volta do recesso é o mesmo Congresso que retorna."

    Mais:

    Ativistas dos direitos humanos denunciam tortura e repressão a opositores na Venezuela
    Mesmo sob denúncias de violação de direitos humanos, EUA doará US$100 mi para Duterte
    Redações contrárias aos direitos humanos no ENEM não poderão ser zeradas, decide Supremo
    Direitos humanos: onda conservadora no Brasil provoca aumento da violência no campo
    Tags:
    Congresso Nacional, Anistia Internacional
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik