06:21 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Apresentador de TV Luciano Huck

    'Salvador da pátria': aprovação de Huck atinge 60% e Lula provoca 'candidato da Globo'

    © Foto: Reprodução/Facebook Luciano Huck
    Brasil
    URL curta
    39326

    Citado nos últimos meses como um possível 'outsider' na corrida presidencial do Brasil em 2018, o apresentador de TV Luciano Huck atingiu 60% de aprovação ao seu nome para o pleito, de acordo com a pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, divulgada nesta quinta-feira pelo jornal O Estado de S. Paulo.

    Dos 22 nomes apresentados aos entrevistados pelo levantamento, Huck é o que possui a melhor avaliação, tendo subido 17 pontos percentuais entre setembro e novembro, segundo a publicação. Além disso, a desaprovação caiu de 40% para 32% no mesmo período acompanhado.

    O Ipsos lembrou que não se trata de uma pesquisa sobre intenção de voto, mas sim uma apuração na qual é apresentada a seguinte pergunta: "Agora vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no país".

    "As pessoas estão avaliando um Luciano Huck que aparece há 15 ou 20 anos na televisão. Ele não tem a imagem desgastada por embates políticos, ainda não foi testado em um debate, por exemplo", afirmou Danilo Cersosimo, diretor do Ipsos, ao jornal. Para ele, "o ponto é se isso vai se converter em votos".

    Em um cenário incerto e de bastante descrédito da classe política tradicional, Huck se aproximou tanto de movimentos da sociedade civil, como o Agora!, quanto de partidos políticos – ele está em tratativas avançadas com o PPS, do deputado federal Roberto Freire, este por sua vez em ministro do presidente Michel Temer (PMDB).

    Segundo a mídia brasileira, Huck estabeleceu o mês de dezembro como aquele para definir se será ou não candidato à Presidência da República em 2018. O prazo é o mesmo estabelecido pela Rede Globo, emissora do apresentador, para que ele indique que caminho seguirá no próximo ano.

    Ainda segundo o Ipsos, depois de Huck quem vem a seguir é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 43% de avaliação positiva e 56% de negativa. Empatado tecnicamente com o petista está o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que foi convidado pelo PSB a disputar a Presidência e deve dar a sua resposta até janeiro.

    Foram ainda mencionados com destaque a ex-senadora Marina Silva (Rede, com aprovação de 35% e rejeição de 56%), o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB, aprovado por 24% e rejeitado por 67%), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC, avaliado positivamente por 24% e negativamente por 60%), e o prefeito paulistano João Doria (PSDB, aprovado por 19% e rejeitado por 63%).

    Ainda fora do cenário político, o juiz federal Sérgio Moro, da Vara de Curitiba que julga as ações da Operação Lava Jato em primeira instância, é aprovado por 50% dos entrevistados, sendo rejeitado por outros 45%.

    Lula ironiza 'candidato da Globo'

    Após a publicação da reportagem do Estadão, Lula ironizou os números de Huck. Além de descartar a possibilidade de não ser candidato à Presidência em 2018, o petista afirmou que tudo o que mais deseja na vida é "disputar (a cadeira presidencial) com alguém com o logotipo da Globo na testa".

    Em uma entrevista à Rádio 730 AM de Goiás, Lula disse não acreditar em candidaturas de 'outsiders' e que gostaria de ver "o que eles querem para o Brasil".

    "Ainda não discutimos candidatura, mas a minha disposição é ser candidato e fazer o povo voltar a andar de cabeça erguida. Quem salvou o Brasil uma vez, pode salvar o Brasil de novo", emendou. As falas do ex-presidente durante a entrevista foram replicadas por sua assessoria no Twitter.

    Condenado em uma das sete ações nas quais é réu, Lula corre o risco de não poder concorrer ao pleito do próximo ano, caso sua condenação seja mantida em segunda instância. O recurso da defesa do petista deve ser julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região até o meio do próximo ano, antes do prazo de inscrições das candidaturas.

    Mais:

    Luciano Huck não tem partido, mas já sonha com 'ministério de notáveis' caso seja eleito
    Em palestra à universidade dos EUA, FHC diz ter medo de ver Bolsonaro eleito presidente
    The Economist chama Bolsonaro de 'demagogo de direita' e 'menino travesso'
    Em entrevista à Sputnik, Dilma acusa Bolsonaro de apoiar 'tortura e ditadura' no Brasil
    Tags:
    aprovação, pesquisa, corrida presidencial, política, Eleições 2018, Ipsos, PSDB, PT, PPS, Agora, Sérgio Moro, Joaquim Barbosa, João Doria, Marina Silva, Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin, Michel Temer, Luiz Inácio Lula da Silva, Luciano Huck, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik