18:10 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Lionel Messi, Luís Suárez (E) e Neymar (D)

    Daesh mostra 'morte de Neymar' em nova ameaça de ataque à Copa de 2018 (FOTO)

    © REUTERS / Gustau Nacarino
    Brasil
    URL curta
    24914
    Nos siga no

    O grupo terrorista Daesh continua com suas ameaças para atacar a Copa do Mundo de 2018, que vai acontecer na Rússia. Em uma nova campanha, o astro argentino Lionel Messi ainda é o protagonista, mas desta vez o brasileiro Neymar também aparece como vítima do grupo.

    Como relatado no último sábado, o portal da organização SITE Intelligence Group, dedicado ao monitoramento da atividade jihadista na internet, o anúncio mostra Messi morto, caído no chão, com a Neymar "esperando sua execução".

    A imagem é acompanhada da frase: "Eles não curtirão a segurança até vivermos em países muçulmanos".

    Em outra montagem relatada anteriormente, a vítima foi o treinador francês Didier Deschamps, que também foi o alvo das ameaças.

    Na foto, Deschamps – campeão mundial com a França em 1998 – aparece na cadeia e usa uma roupa de prisioneiro, enquanto um membro do Daesh aparace logo atrás, apontando uma pistola contra a sua cabeça.

    "Vamos continuar a aterrorizá-los e arruinar suas vidas", afirma o Daesh no anúncio.

    No início desta semana, os jihadistas espalharam uma propaganda em que Messi apareceu atrás das grades, vestindo uma roupa de prisioneiro e com uma mancha vermelha escorrendo de um de seus olhos, como se estivesse chorando sangue.

    Assim, sob o lema do "apenas terrorismo", prometem sabotar o torneio e atacar a Rússia.

    Mais:

    Como Kosovo 'abre caminho para OTAN' através dos terroristas do Daesh
    Exército iraquiano liberta 5 regiões do controle do Daesh
    Governo iraquiano lança operação militar para recuperar cidades do Daesh
    Tags:
    ameaça de morte, violência, ataque, atentado, terrorismo, Copa da Rússia, Copa 2018, Daesh, Lionel Messi, Neymar, Oriente Médio, Brasil, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar