00:56 10 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    942
    Nos siga no

    A preocupação da base do governo federal nesta quarta-feira é com a decisão da oposição de obstruir a votação que, no plenário da Câmara dos Deputados, definirá se o Supremo Tribunal Federal (STF) poderá apreciar a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

    O trio de peemedebistas foi denunciado pelos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça.

    A preocupação governista foi revelada à Sputnik Brasil pelo deputado federal Celso Maldaner (PMDB-SC), em entrevista exclusiva nesta quarta-feira.

    "Nossa preocupação, ao início da sessão de hoje, era com a oposição que não estava marcando presença [em plenário]. Será muito ruim para o Brasil se não for atingido o quórum qualificado de 342 votos (2/3 da Câmara) para que a votação seja realizada. A preocupação é só com o quorum. A oposição, que deseja o afastamento do Temer, não está marcando presença. A oposição quer o quanto pior, melhor e que o Brasil fique sangrando. Portanto, quanto mais adiar a votação, melhor", disse.

    Para Maldaner, o principal desafio para a base do governo Temer é conseguir colocar "342 parlamentares marcando presença no plenário Ulysses Guimarães". Segundo o parlamentar, o país precisa desta votação o mais rápido possível, o que permitiria que a agenda de reformas do governo fosse retomada.

    "Outra preocupação nossa é com as reformas de que o Brasil precisa. Há mais de 30 anos, o país espera por essas reformas que Michel Temer está fazendo em seu pouco tempo de governo. Estas reformas não foram feitas por nenhum dos presidentes anteriores: José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Temer teve coragem de fazer neste curto período de presidência", comentou.

    O peemedebista elogiou Temer por ter "salvado a Petrobras e tantas outras grandes empresas", ter "tirado o país da recessão", reduzindo a "taxa de juros para 1 dígito (8,25%)", por fim, "tirar a economia do fundo do poço". Contudo, Maldaner criticou a postura dos opositores.

    "A oposição não quer isso. Ela quer mesmo é o quanto pior, melhor", completou.

    Mais:

    Protesto de artistas contra Temer termina com bombas de gás da PM (VÍDEO)
    Planilha mostra R$ 1 milhão que teria sido pago pela JBS a Temer, diz revista
    Lula diz que Dilma 'traiu' eleitorado e que, se eleito, vai revogar medidas de Temer
    Tags:
    denúncia, corrupção, política, STF, PGR, Câmara dos Deputados, Eliseu Padilha, Moreira Franco, Celso Maldaner, Michel Temer, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar