17:51 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman

    Fraude nas Olimpíadas: STJ manda soltar Nuzman após acusação de propina na Rio 2016

    © AFP 2019 / YASUYOSHI CHIBA
    Brasil
    URL curta
    503
    Nos siga no

    O Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou soltar nesta quinta-feira (19) o ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, acusado de liderar um esquema de fraude nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

    O ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Nuzman, e o ex-diretor de operações do comitê Rio 2016, Leonardo Gryner, foram presos em 5 de outubro em uma operação da Polícia Federal. Eles foram acusados de fraude e propina a jurados na escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

    Nuzman teria atuado como intermediário em um esquema de corrupção com o ex-governador Sérgio Cabral e o empresário Arthur Soares, o "Rei Arthur", que está foragido.

    O STF decidiu soltar Carlos Zuzman por 4 votos a 0, mas impôs medidas cautelares como a proibição de deixar o país, proibição de contato com outros investigados e a exigência de entrega do passaporte. 

    Após mais de duas décadas à frente da presidência do COB, se afastou do cargo após a sua prisão por meio de uma carta de renúncia. 

    O Comitê Olímpico Internacional (COI) chegou a suspender temporariamente o COB em razão da investigação em torno de Nuzman.


    Mais:

    Nuzman renuncia à presidência do Comitê Olímpico Brasileiro
    Após prisão de Nuzman, COI suspende temporariamente o Comitê Olímpico do Brasil
    Carlos Nuzman é preso em operação que aponta fraude na Rio 2016
    Tags:
    fraude, propina, corrupção, Olimpíadas, Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar