11:48 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Senador pelo PSDB, Aécio Neves está afastado do cargo desde 26 de setembro

    Senadores decidem rejeitar afastamento de Aécio Neves

    Geraldo Magela/ Agência Senado
    Brasil
    URL curta
    441346219

    A maioria dos senadores decidiu, nesta terça-feira, recusar a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal de afastar do cargo o senador Aécio Neves (PSDB-MG), acusado de corrupção passiva e obstrução à justiça. Com isso, o parlamentar, que não desempenha atividades na Casa desde o final de setembro, poderá retomar os seus trabalhos.

    Em votação realizada hoje em plenário, 44 dos 71 presentes disseram "não" à manutenção das medidas cautelares que afastaram o psdbista do desempenho de suas funções e o obrigaram ao recolhimento domiciliar noturno. Outros 26 votaram a favor da decisão do Supremo, enquanto o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), não votou. Aécio precisava de 41 votos para derrubar as medidas.

    Mais cedo, o senador tucano, afastado do cargo para não interferir nas investigações da Lava Jato, enviou uma carta aos seus colegas se dizendo inocente das acusações e pedindo apoio para vencer a votação. No documento, ele afirmou ser vítima de uma trama armada por agentes públicos e empresários inescrupulosos para prejudicá-lo.

    Aécio foi acusado de receber propina no valor de R$ 2 milhões de Joesley Batista, proprietário da holding J&F. A acusação é baseada principalmente em uma conversa mantida entre o senador e o empresário, gravada em ação controlada pela Polícia Federal.

    Mais:

    Iniciada sessão no Senado para analisar situação de Aécio Neves
    STF: parlamentares só poderão ser afastados com aval do Congresso
    Tags:
    Operação Lava Jato, Senado, STF, Joesley Batista, Eunício Oliveira, Aécio Neves, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik