11:16 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Michel Temer

    'É realismo fantástico em estado puro', diz Temer sobre denúncia

    Beto Barata/PR
    Brasil
    URL curta
    1407

    Após ser denunciado por organização criminosa e obstrução da justiça, o presidente Michel Temer (PMDB) reagiu. Em nota divulgada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República, o peemedebista diz que o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, está em uma "marcha irresponsável" e critica a delação da JBS.

    "A segunda denúncia é recheada de absurdos. Fala de pagamentos em contas no exterior ao presidente sem demonstrar a existência de conta do presidente em outro país. Transforma contribuição lícita de campanha em ilícita, mistura fatos e confunde para tentar ganhar ares de verdade. É realismo fantástico em estado puro", diz a nota.

    Temer também afirma que Janot ignora problemas como a "falta de credibilidade de testemunhas" e que há "indícios consistentes" de pessoas que faziam parte da PGR e que podem ter influenciado as delações. "Ao não cumprir com obrigações mínimas de cuidado e zelo em seu trabalho, por incompetência ou incúria, coloca em risco o instituto da delação premiada. Ao aceitar depoimentos falsos e mentirosos, instituiu a delação fraudada."

    Temer foi denunciado por Janot nesta quinta-feira (14) por supostamente integrar uma organização criminosa que teria recebido R$ 587 milhões. Foram denunciados também outros políticos do PMDB, como os ministro da Casa Civil Alexandre Padilha e e Moreira Franco, Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência.

    Mais:

    Dia de lutas dos trabalhadores contra reformas de Temer agita cidades brasileiras
    Foi golpe? Ao lado de Cunha, Temer tramou queda de Dilma 'diariamente', diz Funaro
    Jantar da pesada vai reunir Trump, Temer e Santos; no cardápio, Venezuela
    Derrota para Temer: STF mantém Janot no comando das investigações com presidente
    Temer recebeu R$ 31,5 milhões por liderar organização criminosa do PMDB, diz PF
    Tags:
    Procuradoria Geral da República (PGR), Supremo Tribunal Federal (STF), Rodrigo Janot, Michel Temer
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik