05:23 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Caixas e malas com dinheiro foram encontradas pela Polícia Federal (PF) em um imóvel que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima

    Após apreensão de R$ 51 mi em 'bunker', ex-ministro Geddel Vieira Lima é preso

    PF/Divulgação
    Brasil
    URL curta
    421
    Nos siga no

    O ex-ministro Geddel Vieira Lima voltou a ser preso na manhã desta sexta-feira em Salvador, três dias depois da Polícia Federal (PF) apreender R$ 51 milhões em um imóvel que seria supostamente utilizado pelo político, filiado ao PMDB.

    A prisão preventiva (por tempo indeterminado) foi determinada pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, em uma nova fase da Operação Cui Bono, que investiga fraudes na Caixa Econômica Federal.

    Geddel ocupou a vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), tendo sido indicado pelo PMDB. De acordo com as apurações, o peemedebista “agia internamente, de forma orquestrada” para beneficiar empresas com créditos e informações privilegiadas.

    O ex-ministro cumpria prisão domiciliar, mas teve um novo pedido de prisão endossado pelo Ministério Público Federal (MPF), com base na apreensão de R$ 51 milhões em um apartamento que havia sido emprestado a Geddel por um amigo do ex-ministro. Digitais do ex-ministro foram encontradas no dinheiro, de acordo com a polícia.

    A justificativa para a nova prisão é de que Geddel poderia fugir e/ou destruir “elementos de provas imprescindíveis à elucidação dos fatos”. Além da prisão, agentes da PF ainda realizam novas buscas de supostos recursos financeiros que o peemedebista teria escondido.

    De Salvador, Geddel embarcou para Brasília, onde deverá ficar preso.

    Nesta nova fase da Cui Bono, a PF busca provas de crimes como corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

    Mais:

    Dono da JBS chama Temer de 'ladrão geral da República' após ofensa do Planalto
    Pressão sobre Temer: Funaro confirma pagamentos de Joesley pelo seu silêncio, diz jornal
    Tags:
    política, bunker geddel, corrupção, operação cui bono, Caixa Econômica Federal, Polícia Federal, Vallisney de Souza Oliveira, Geddel Vieira Lima, Salvador, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar