17:42 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Área de plantação de eucalipto na Amazônia

    Decreto que extingue reserva na Amazônia é suspenso pela Justiça

    Luciana Macêdo
    Brasil
    URL curta
    1571
    Nos siga no

    A 21ª Vara Federal decidiu nesta quarta-feira (30) suspender o polêmico decreto assinado pelo presidente Michel Temer na última segunda-feira, que acabaria com a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca).

    "A 21ª Vara Federal deferiu parcialmente liminar para suspender imediatamente todo e qualquer ato administrativo tendente a extinguir a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), sem a prévia observância da garantia constitucional estabelecida no art. 225, §1º, inciso III, da Lei Maior", diz o comunicado.

    De acordo com a decisão, áreas de proteção ambiental só poderão ser alteradas ou extintas por meio de "lei, vedada qualquer utilização que comprometa a integridade dos atributos que justifiquem sua proteção".

    No último dia 22, o presidente brasileiro, Michel Temer, publicou um decreto extinguindo a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), uma imensa área localizada entre os estados do Pará e Amapá, com 46.450 quilômetros quadrados, o que desencadeou uma série de críticas, inclusive internacionais, contra a sua administração.

    Após muitas discussões e protestos, na noite de ontem, um novo decreto foi publicado, apresentando mais detalhes sobre os planos de exploração da região, mas mantendo a extinção da reserva. Assim como o primeiro, esse novo decreto também foi alvo de duras críticas, sendo considerado por muitos uma tentativa de enganar a opinião pública sobre as consequências nocivas da decisão do Planalto. 

    Mais:

    'Governo sem legitimidade compromete soberania nacional vendendo parte da Amazônia'
    Cooperativa no MT pode ganhar prêmio internacional por proteger a Amazônia
    Sem Trump e com desmatamento na Amazônia: Mercosul e UE querem cumprir Acordo de Paris
    Tags:
    reserva, decreto, justiça, Michel Temer, Brasil, Amazônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar