14:37 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Deputado Chico Alencar do PSOL/RJ

    Chico Alencar: 'Esquerda brasileira precisa reconhecer erros e traçar novos rumos'

    Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados
    Brasil
    URL curta
    1887

    A partir deste sábado, 26 de agosto, terá início em São Paulo (e, depois, prosseguirá por outras cidades brasileiras) uma série de debates sobre os rumos da esquerda brasileira. A iniciativa está atrelada ao lançamento do site Vamos! e é coordenada por Guilherme Boulos, líder do MTST, Movimento dos Trabalhadores Sem Teto.

    Segundo Boulos, a ideia é “discutir projetos para os próximos períodos, de 10 a 20 anos.”  Nas palavras do líder do MTST, “nós temos uma crise do país e da esquerda, e precisamos de uma discussão honesta, sem tabus, com espírito crítico.”

    Participam desta iniciativa representantes do PT, PSOL, UNE, CUT, Uneafro, MLB (Movimento de Lutas nos Bairros, Vilas e Favelas) e muitos outros agrupamentos sociais e sindicais. Além de São Paulo, cidades como Belém, Recife, Rio, Porto Alegre, Fortaleza e Belo Horizonte sediarão este ciclo de debates que sempre serão realizados em praças públicas, ao ar livre, para permitir acompanhamento pelo público.

    Um dos debatedores será o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) que, em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil, falou como vê a iniciativa:

    “[A iniciativa] é muito cara à esquerda brasileira, uma esquerda que precisa se atualizar, reciclar, resignificar o ideário socialista em termos de democratização. Democratização da Economia, democratização do Poder e da Política, democratização da Educação e da Cultura, democratização da aceitação e da incorporação na sociedade das identidades diversas. Enfim, o caminho é longo e é preciso começá-lo já.”

    Segundo Chico Alencar, o movimento é coletivo e não comporta hegemonias:

    “Esses debates serão presenciais, vão ocorrer em muitas capitais do país e sempre na rua. Vamos ocupar as praças desse país, estimulando que esses debates contem com uma perspectiva para o Brasil e se multipliquem pelo país. Não há controle, não há donos desse movimento de debates em torno de saídas da profunda crise nacional.”

    Para o parlamentar, o movimento tem caráter analítico e debaterá os erros cometidos pela esquerda:

    “O movimento não tem caráter de campanha eleitoral. Ele visa formular propostas que, esperamos, possam nutrir, alimentar aqueles partidos e aquelas candidaturas que, em 2018, vierem a postular o governo da República, eleição de bancadas para governos estaduais, assembleias legislativas, etc. É, enfim, um movimento que vai além do período eleitoral. Mas é preciso desde já construir alternativas para o país, reconhecendo que a esquerda perdeu muito espaço e perdeu o rumo. Nós não deixamos de fazer a nossa autocrítica.”

    Moralidade pública será o compromisso fundamental do movimento, de acordo com Chico Alencar:

    “A Ética na Política deveria ser algo constitutivo do próprio ser esquerda. Porque ser de esquerda significa defender uma sociedade com oportunidades iguais para todos, uma sociedade que não se mova pela égide do lucro, uma sociedade que combata o individualismo, o capitalismo, o monopólio, a concentração de renda, a desigualdade, o consumismo, etc. Tudo isso significa a negação da Ética, da igualdade, do amor ao próximo, e da visão política do interesse público, vale dizer, do interesse das maiorias.

    Ainda na entrevista à Sputnik Brasil, Chico Alencar confirmou que o PSOL terá candidatura própria na eleição presidencial de 2018 assim como teve nos pleitos de 2006 (Heloísa Helena), 2010 (Plínio de Arruda Sampaio) e 2014 (Luciana Genro). A convenção nacional do partido será realizada em dezembro e é bastante provável que o nome do deputado seja aprovado para disputar a Presidência da República.

    Mais:

    Para o Psol, rejeição de denúncia contra Temer vai ferir de morte o Congresso
    Psol: prioridade agora é impedir eleição indireta
    Para PSOL, manifestações só tendem a crescer em todo o país
    PSOL explica sua razões para pedir impeachment de Michel Temer
    Tags:
    Movimento de Lutas nos Bairros, Vilas e Favelas, Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), PSOL, UNE, Presidência da República, PT, Plínio de Arruda Sampaio, Heloísa Helena, Guilherme Boulos, Luciana Genro, Chico Alencar, Belém, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar