09:40 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Militares circulam na Rodovia Washington Luiz após o início da operação de reforço das Forças Armadas na segurança do Rio de Janeiro

    Operação policial e militar no Rio: 2 mortos e 18 presos

    Fernando Frazão / Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    6328 0 0

    Uma grande operação policial e militar está sendo realizada no Rio de Janeiro desde a madrugada deste sábado. Segundo a entrevista coletiva, realizada na manhã deste sábado por representantes das forças de segurança estatuais e nacionais, 2 pessoas foram mortas e 18 foram presos.

    A Operação Onerat coordena as ações de aproximadamente 5 mil homes, que realizam busca e apreenção no Complexo do Lins e Camarista Méier, na Zona Norte da capital fluminense.

    Uma das mortes foi em enfrentamento com a Polícia Civil, no Complexo do Lins, e a outra foi no Morro de São João, na zona oeste, em um embate com a Polícia Militar, segundo o delegado Paulo Guimarães.

    Além das prisões, armas, rádios e automóveis foram recuperados.

    Esta é a segunda ação conjunta entre as forças de segurança pública estaduais e nacionais e as Forças Armadas no Rio de Janeiro. Além do Complexo do Lins, policiais entraram em outras comunidades na zona oeste e norte, como a Covanca, o Chapadão e a Pedreira, informou Agência Brasil.

    A operação contou com 3,6 militares, 33 agentes e 30 delegados da Polícia Civil, bem como com 574 policiais militares. A Força Nacional contribuiu com 256 agentes, a Polícia Federal com 26 policiais, além de 115 policiais Rodoviários Federais.

    Mais:

    Exército no Rio: militares tomam conta da paisagem carioca com operação de segurança
    Temer anuncia emprego das Forças Armadas no Rio
    Especialista não vê luz no fim do túnel da violência que impacta sistema escolar do Rio
    Violência no Rio: Crime organizado, crise econômica e a falência de um modelo de Estado
    Tags:
    operação policial, operação militar, Operação Onerat, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik