18:41 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Imagem do modelo E195-E2, da mais nova geração da empresa brasileira de aviação Embraer

    Embraer entrega mais aviões em 2017, mas vê queda de pedidos firmes no 2º trimestre

    © Foto: Divulgação / Facebook Embraer
    Brasil
    URL curta
    5278 0 0

    A Embraer registrou resultados distintos nos primeiros seis meses de 2017, segundo relatório divulgado pela fabricante brasileira de aviões nesta semana. Se o número de aeronaves entregues subiu, houve queda no total de pedidos firmes.

    De acordo com informe da companhia, foram entregues “35 jatos para o mercado de aviação comercial e 24 unidades para o segmento de aviação executiva ao longo do segundo trimestre de 2017, sendo 16 jatos leves e oito jatos grandes”.

    Ainda segundo a Embraer, “número de entregas na aviação comercial subiu cerca de 35% em relação ao mesmo período do ano passado”.

    “Já a aviação executiva entregou cinco jatos grandes a mais do que no segundo trimestre de 2016, embora no total tenham sido entregues duas unidades a menos”, continuou o comunicado da empresa.

    A companhia ainda destacou os negócios da ordem de US$ 3 bilhões fechados durante o 52º Salão Internacional de Aeronáutica e Espaço (Paris Air Show), evento do mercado aeronáutico na França, realizado no mês passado na capital francesa.

    Entretanto, nem tudo é para ser comemorado. A companhia informou que “a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) totalizava US$ 18,5 bilhões” até o dia 30 de junho. O montante corresponde a um recuo de 15,5% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o jornal Valor Econômico.

    Se neste ano o total de entregas firmes chegou a 417 unidades, em 2016 o número era de 500 jatos.

    Mais:

    Concorrente russa da Embraer entregará 38 aeronaves do modelo Sukhoi SuperJet 100 em 2017
    Embraer admite ter pago propina para vender aviões no exterior
    Para Sindicato, desligamentos na Embraer mostram gravidade do mercado de trabalho no país
    Tags:
    aviação civil, aviação, comércio, economia, Embraer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik