23:01 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Neto do arquiteto Oscar Niemeyer, Carlos Oscar Niemeyer Magalhães entrega livros durante um dos eventos da Cavalgada da Cultura

    Cavaleiros da Cultura incentivam a leitura em crianças e jovens do interior do Brasil

    © Foto : Divulgação / Facebook Cavalgada da Cultura
    Brasil
    URL curta
    0 40

    Incentivar a leitura a crianças e adolescentes nas regiões mais distantes do Brasil, que estão foram do eixo das grandes cidades. Esse vem sendo o desafio dos Cavaleiros da Cultura. Uma associação, sem fins lucrativos, criada em 2008, em Minas Gerais, onde realizam viagens com doações de livros, chamadas de Cavalgadas Culturais.

    A primeira expedição, que percorreu o sertão de Minas Gerais, aconteceu em julho de 2007, quando 16 cavaleiros participaram da “Cavalgada do Centenário de Oscar Niemeyer”, idealizada por Carlos Oscar Niemeyer Magalhães, neto do renomado arquiteto brasileiro, Carlos Oscar Niemeyer.

    “Esse trabalho começou no ano do centenário do meu avô, quando ele me disse que não tinha nada com cavalo, mas me pediu para levar um livro a todo lugar que eu fosse passar. Fizemos a primeira arrecadação e passamos por municípios mais pobres, ajudando crianças sem acesso nenhum e que não tinha ideia do que era a literatura”, contou Magalhães, em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil.

    A viagem partiu de Goianá, em Minas Gerais, e distribuiu 12 mil livros em 25 bibliotecas e escolas públicas do interior mineiro e de São Paulo. Foram 813 quilômetros percorridos até a cidade de Barretos (SP), em 19 dias de atividades intensas. Nada que desanime o neto de Niemeyer e o seu grupo, formado por pessoas com bagagens diferentes.

    “Se queremos mudar alguma coisa neste país é pela educação, pela cultura. Não tem outro jeito”, comentou, relembrando ainda algumas situações comuns em cada uma das suas aventuras com o grupo. “A gente sempre procura um tema para as viagens, avisamos as escolas e as crianças sempre estão curiosas quando chegamos. Crianças sem o hábito de leitura se interessam, o grande diferencial é chegar lá a cavalo”.

    Fazendo a diferença

    A ação deu tão certo que, em setembro de 2008, o grupo oficializou a criação da ACC (Associação Cavaleiros da Cultura) e elaboraram um estatuto próprio. Para esse ano, a meta é conseguir distribuir 1 milhão de livros. 

    “Acho que a leitura é fundamental, e quando você mostra para uma criança, principalmente as mais jovens, que você pode sonhar sem sair no lugar por meio de um livro, ali está a perspectiva de um mundo melhor. O livro fará a diferença, mas é preciso continuidade. Nosso trabalho é criar curiosidade, mas turma da educação precisa fazer trabalho de continuidade”, sentenciou.

    Além disso, a expedição dos cavaleiros de 2017 homenageia o escritor Carlos Drummond de Andrade. A viagem é o pontapé inicial para a Festa Literária de Minas Gerais (Fliminas 2017), que nesta edição lembra os 30 anos da morte do poeta itabirano. A festa acontece em agosto, em Rio Novo.

    “Vamos divulgar a programação a partir dia 15 de julho. É uma festa literária, queremos que as crianças participem de uma festa. Levá-las para um ambiente de livros é difícil, então temos atividades para todos, incluindo os adultos, com oficinas, teatro, gastronomia, shows musicais, lançamentos de livros, enfim, uma infinidade de atrações, com gratuidade e acessibilidade”, revelou Magalhães.

    Outras informações podem ser obtidas pela página dos Cavalheiros da Cultura.

    Mais:

    Senador quer que dinheiro da corrupção vá para educação no Brasil
    Passando o chapéu: ministro da Educação vai ao Banco Mundial
    Professores brasileiros concorrem ao 'Prêmio Nobel da Educação'
    Tags:
    infância, juventude, literatura, cultura, educação, Cavalgada do Centenário de Oscar Niemeyer, Associação Cavaleiros da Cultura - ACC, Cavaleiros da Cultura, Carlos Oscar Niemeyer Magalhães, Oscar Niemeyer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar