21:08 14 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1502
    Nos siga no

    Após tornar-se o primeiro presidente brasileiro da história a ser denunciado por corrupção no exercício do cargo, Michel Temer (PMDB) pode ter que cancelar alguns de seus compromissos. O núcleo duro do Palácio do Planalto defende que o peemedebista deve priorizar sua própria sobrevivência e cancelar a programação fora do Brasil.

    Panfleto distribuído durante protesto contra o governo de Michel Temer no Rio de Janeiro (arquivo)
    Sputnik Brasil/Jussara Razzé
    As informações são da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

    Até o momento, o almoço está previsto para o dia 6 de julho, um dia antes do início da cúpula do G20. A reunião das 20 maiores economias do mundo acontecerá nos dias 7 e 8 de julho, em Hamburgo, cidade ao norte do território alemão.

    Ainda segundo o jornal, a equipe econômica e o Itamaraty defendem que Temer deve manter sua agenda internacional inalterada, enquanto o ministro da Secretaria-Geral da Presidência Moreira Franco faz parte do grupo que defende o foco total na política interna. Para o ministro, Temer sequer deveria ter visitado Rússia e Noruega.

    Mais:

    O que Temer foi fazer na Rússia?
    Procurador que pediu a cassação de Temer vence eleição do MPF para substituir Janot
    Temer se pronuncia após denúncia contra ele no STF
    Analista russo: impeachment de Temer levaria a um caos político no Brasil
    PF conclui que Temer incentivou pagamentos irregulares e obstruiu Justiça
    Crime e castigo: Temer já deveria esperar cortes no Fundo da Amazônia, opina especialista
    Temer é o presidente com menor aprovação em 28 anos
    Tags:
    Angela Merkel, Michel Temer
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar