23:06 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    721
    Nos siga no

    O procurador da Força-Tarefa da Operação Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, disse nesta sexta-feira que o Ministério Público Federal (MPF) vai recorrer da decisão do juiz federal Sérgio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cruz, mulher do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

    De acordo com Lima, a decisão de Moro foi “injustificável”, uma vez que existem sim provas de que a jornalista tinha conhecimento segundo ele, da origem ilícita dos recursos que abasteciam as contas dela e do marido no exterior. Esses recursos financiavam viagens e compras luxuosas do casal e das filhas.

    “Isso [a absolvição] decorre muito mais do coração generoso do Sérgio Moro. Ao gastar, ela cometeu crime de lavagem [de dinheiro]. O comportamento dela não é justificado e é criminoso. Ela é jornalista e tinha conhecimento suficiente para saber. Vamos recorrer da decisão e esperamos que no tribunal possa reverter a absolvição. Vamos insistir no pedido de condenação”, explicou.

    Deflagrada nesta sexta-feira, a 41ª fase da Lava Jato – batizada de Poço Seco – investiga parte dos valores que acabaram nas contas de Cunha, e que tiveram origem em negócios da Petrobras em Benin, na África. No total, sete pessoas teriam sido beneficiados com dinheiro do esquema.

    Mais:

    Perito da Lava Jato: Laudo da defesa de Temer é 'precipitado'
    Fora da Lava Jato, Paulo Maluf é condenado a 7 anos de prisão no STF
    Lava Jato: Lula é denunciado pela terceira vez em caso do sítio de Atibaia
    Lava Jato: França investiga se houve propina por submarino nuclear
    Tags:
    poço seco, petrobras, corrupção, Operação Lava Jato, MPF, Sérgio Moro, Eduardo Cunha, Claudia Cruz, Curitiba, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar