06:24 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Michel Temer, presidente interino do Brasil

    Sobrevida: Apesar de áudio, bancos e industriais declaram apoio às reformas de Temer

    © AFP 2018 / EVARISTO SA
    Brasil
    URL curta
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (69)
    2208

    Alvejado por todos os lados, o presidente da República Michel Temer (PMDB) recebeu manifestações de apoio de industriais e setores do mercado financeiro, mais precisamente dos bancos, nesta terça-feira, em uma tentativa de debelar a crise que assombra o seu governo.

    Falando pelo setor industrial brasileiro, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, divulgou um comunicado em que reforça a necessidade de “continuidade às reformas estruturais”, que “são fundamentais para recolocar o país no rumo certo”.

    “A indústria brasileira entende que não pode haver retrocessos nos avanços duramente conquistados nos últimos meses. Por isso, o Congresso Nacional precisa dar continuidade às reformas estruturais, que são fundamentais para recolocar o país no rumo certo”, afirmou.

    Andrade ainda ressaltou que o país “precisa de estabilidade política e econômica para voltar a crescer, gerar empregos e renda e melhorar a qualidade de vida dos brasileiros, especialmente dos mais de 14 milhões que sofrem com o desemprego”.

    A nota da CNI diz esboçar o pensamento das Federações das Indústrias dos estados – dentre elas estão FIESP e Firjan, que apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) –, pregando assim a “confiança nas instituições brasileiras”.

    “Temos a convicção de que os poderes da República serão capazes de solucionar a atual turbulência com serenidade, equilíbrio e espírito público, em estreita observância da Constituição Federal. A indústria brasileira entende que não pode haver retrocessos nos avanços duramente conquistados nos últimos meses”, comentou.

    O comunicado termina defendendo as “reformas trabalhista, previdenciária, tributária e política”, que são tratadas como “imprescindíveis”, pois “o Brasil não pode parar”.

    “O Congresso Nacional precisa dar continuidade às reformas estruturais, que são fundamentais para recolocar o país no rumo certo […]. Acreditamos no futuro da nação. Temos certeza de que, com trabalho e perseverança, construiremos o país no qual os brasileiros merecem viver”, completou.

    Febraban elogia Temer

    Na mesma linha de elogios da CNI, o presidente da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Murilo Portugal, elogiou nesta terça-feira o presidente Michel Temer e sua equipe econômica, liderada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

    Em evento da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), em São Paulo, Portugal destacou que o atual governo vem atuando com medidas que “propiciam o investimento”, trabalhando para “corrigir problemas estruturais” deixados pela gestão Dilma.

    “Vivemos um momento político difícil, mas me incluo entre aqueles que advogam que todo o esforço da área econômica não seja perdido”, disse o presidente da Febraban ao jornal Valor Econômico, defendendo a manutenção do cronograma de reformas.

    Os apoios de industriais e dos bancos é visto como fundamental para Temer tentar reverter a sua situação política, bastante difícil após a gravação de um áudio em que o presidente da República teria dado o aval para o pagamento de mesadas ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao operador Lúcio Funaro, em troca do silêncio de ambos. Cabia ao empresário Joesley Batista, dono da JBS, efetuar tais pagamentos.

    Tema:
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (69)

    Mais:

    Assessor de Temer e dois ex-governadores do DF são presos pela PF
    Temer: Defesa vê '70 pontos obscuros' em áudio e dispensa suspensão de inquérito no STF
    STF suspende julgamento de possível fim do inquérito contra Temer
    'Fui ingênuo ao receber uma pessoa naquele momento', diz Temer a jornal
    Sem intervenção: Forças Armadas reafirmam lealdade à Constituição em encontro com Temer
    Tags:
    política, corrupção, cassação, impeachment, Febraban, Firjan, Fiesp, CNI, Lúcio Funaro, Eduardo Cunha, Joesley Batista, Murilo Portugal, Robson Andrade, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik