00:32 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da República Michel Temer durante a posse do ministro da Cultura, Roberto Freire, em Brasília. Dia 23 de novembro de 2016.

    'Fui ingênuo ao receber uma pessoa naquele momento', diz Temer a jornal

    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Brasil
    URL curta
    1706

    O presidente Michel Temer (PMDB) voltou à ofensiva. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo desta segunda-feira (22), o peemedebista defendeu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, filmado pela Polícia Federal correndo com uma mala de dinheiro, atacou o empresário que o gravou e afirmou que irá demonstrar força política nesta semana.

    Perguntado sobre Loures, o presidente afirmou que o deputado federal agora afastado "foi induzido, foi seduzido por ofertas mirabolantes e irreais", e tornou a afirmar que as demandas da JBS não foram atendidas pelos órgãos do governo.

    "Não vou dizer isso (se sentiu-se traído), porque ele é um homem, coitado, ele é de boa índole, de muito boa índole. Eu o conheci como deputado, depois foi para o meu gabinete na Vice-Presidência, depois me acompanhou na Presidência, mas um homem de muito boa índole", disse Temer sobre Rocha Loures.

    Sobre receber o empresário Joesley Batista — a quem qualificou de "empresário grampeador" — fora de sua agenda, Temer disse que não sabia que o diretor da JBS já estava sendo investigado e afirma que foi vítima de ingenuidade. "Fui ingênuo ao receber uma pessoa naquele momento." O peemedebista esclareceu que pretende demonstrar força política ao longo da semana, "com a votação de matérias importantes". Temer ainda voltou a afirmar que não renunciará, já que tal ato poderia ser entendido como uma "declaração de culpa".

    Mais:

    Sem intervenção: Forças Armadas reafirmam lealdade à Constituição em encontro com Temer
    Ex-líder do Pink Floyd provoca brasileiros com frase e foto de Temer
    Atos contra Michel Temer se espalham pelo Brasil (FOTOS)
    Doria diz a jornal que áudio envolvendo Temer é 'inconclusivo'
    Tags:
    JBS, Joesley Batista, Rodrigo Rocha Loures, Michel Temer
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik