12:34 24 Maio 2017
Ouvir Rádio
    Luiz Inácio Lula da Silva, expresidente de Brasil y líder histórico del PT

    Especialista sobre caso Temer-Cunha: agora Lula 'tem certas chances'

    © REUTERS/ Paulo Whitaker
    Brasil
    URL curta
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (43)
    3728111312

    Deputados brasileiros exigem o impeachment de Temer, este pedido já foi enviado para o Presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Rodrigo Maia.

    Michel Temer, presidente do Brasil, foi acusado em delação dos donos da JBS S.A.
    Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil/FotosPúblicas
    O chefe de Estado é suspeito de corrupção. Anteriormente o portal Globo publicou uma gravação muito interessante em que, alegadamente, Temer manda pagar mais de 630 mil dólares para ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, para comprar o silêncio dele sobre a corrupção ligada à empresa Petrobras. Mas, até agora, a prova não foi verificada. O próprio presidente desmente as acusações.

    O professor do Instituto da América Latina da Acadêmica de Ciências da Rússia, Vladimir Davydov, comenta a situação ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    "Desde o início era claro que o governo de Temer é de transição, o estado turbulento no país ainda não foi superado", disse o especialista acrescentando que, apesar de tudo, agora é preciso verificar com precisão as provas contra Michel Temer e sensatamente esperar por qualquer desenvolvimento da situação.

    O especialista reconhece que vários representantes de diferentes blocos políticos que agora estão envolvidos neste "drama político" no Brasil têm recorrido a "tais meios", ou seja, o pagamento de dinheiro. Segundo Davydov, é necessário que o Brasil saia o mais rápido possível desta crise política para lidar com crise econômica:

    "O Brasil tem um grande valor econômico no mundo. Mesmo nesta situação o capital estrangeiro continua entrando no Brasil, neste mercado e nesta economia de grande escala", disse Vladimir Davydov.

    No ano passado, embora ele tenha sido muito instável politica e economicamente, dezenas de bilhões de dólares foram canalisados para a economia brasileira.

    "Acho que o conflito será resolvido em 2018 quando terminar o mandato da administração de Temer e forem realizadas novas eleições presidenciais. Espero que apareçam novos líderes que sejam apoiados pela maioria dos brasileiros e que consigam colocar o país em um rumo de desenvolvimento positivo", disse.

    O especialista disse que, caso o envolvimento em corrupção de Temer seja provado, Dilma Rousseff pode ser justificada aos olhos do povo. "Os acontecimentos atuais mostram que o impeachment de Rousseff foi algo artificial, as acusações não foram completamente provadas e não houve imparcialidade completa."

    O especialista não acha que Dilma Rousseff seja capaz de voltar para a atividade política, mas ele sublinha que o presidente precedente, Lula, declarou a vontade de participar das eleições.

    "Agora ele tem certas chances", dafirma o especialista.

    Precisamos esperar por 2018, porque na vida política impetuosa do Brasil podem acontecer várias alterações que mudarão completamente a situação, julga Davydov.

    Falando sobre a eficácia da administração de Temer durante o ano que passou, Davydov observou que a situação em geral melhorou, se tornando mais estável, mas permanece a crise de confiança. Michel Temer é obrigado a tomar medidas impopulares para corrigir erros do regime anterior e, por isso, grande parte de brasileiros está descontente com ele, e estará ainda mais descontente no futuro.

    Tema:
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (43)

    Mais:

    Opinião: Gravação deixa Temer em situação difícil e base já ensaia pedir a sua renúncia
    Rede protocola dois pedidos de impeachment contra Temer na Câmara
    Protestos pedem a renúncia de Temer e eleições gerais após gravação da JBS (VÍDEOS)
    Tags:
    impeachment, Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, Dilma Rousseff, Michel Temer, Lula, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik