09:22 28 Maio 2017
Ouvir Rádio
    Michel Temer, presidente de Brasil

    Rede protocola dois pedidos de impeachment contra Temer na Câmara

    © REUTERS/ Adriano Machado
    Brasil
    URL curta
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (48)
    322671

    O deputado federal Alessandro Molon e o senador Randolfe Rodrigues, ambos do partido Rede Sustentabilidade, protocolaram pedidos formais pelo impeachment do presidente Michel Temer após o PMDBista ser flagrado em gravação incentivando mesada milionária para calar Eduardo Cunha.

    "O governo Temer acabou. Estamos cumprindo com nossa responsabilidade com o país. O ideal é que ele renuncie à Presidência. Não podemos ficar à mercê de mais uma crise longa e de contornos imprevisíveis", declarou o senador Randolfe à imprensa.

    As movimentações em torno de mais um pedido aconteceram logo na noite de ontem, quando a reportagem exclusiva do Jornal O Globo relatou as conversas de Temer e Aécio com Joesley Batista, controlador da JBS. Após o pedido de impeachment de Molon, o deputado e terceiro secretário da Mesa, João Henrique Caldas (PSB-AL), apresentou uma denúncia contra Temer por crime de responsabilidade.

    A Rede também pedirá logo mais a abertura de processo de cassação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

    O futuro de Temer agora está nas mãos do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Um dos principais aliados do governo, Maia é o próximo na linha sucessória do governo, embora esteja denunciado na Operação Lava Jato. Se a denúncia contra ele for aceita, o deputado do Democratas não vai poder ocupar a presidência, em consonância com decisão do Supremo Tribunal Federal em novembro do ano passado.

    Twitter

    Siga Sputnik Brasil no Twitter e fique por dentro das notícias mundiais do momento.

    Tema:
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (48)
    Tags:
    Operação Lava Jato, Democratas, Câmara Federal, Supremo Tribunal Federal, João Henrique Caldas, Joesley Batista, Randolfe Rodrigues, Alessandro Molon, Aécio Neves, Michel Temer, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik