15:32 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Eleonara Menicucci, ex-ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, durante evento no Instituto Ivo Herzog, em São Paulo (arquivo)

    Ex-ministra de Dilma é condenada por criticar apologia ao estupro

    Cesar Ogata / SECOM
    Brasil
    URL curta
    1429922

    A ex-ministra Eleonara Menicucci, que ocupou a Secretaria de Políticas para Mulheres no governo Dilma Rousseff, foi condenada pela Justiça a pagar uma indenização de R$ 10 mil ao ator Alexandre Frota por danos morais, por ter criticado um crime de violência contra a mulher supostamente cometido pelo artista.

    Em maio de 2016, Frota abriu um processo contra Menicucci depois que ela criticou o ministro da Educação, Mendonça Filho, por ter recebido em seu gabinete o ator, que, pouco tempo antes, havia assumido em um programa de TV o estupro de uma religiosa. Na ocasião, a então ministra acusou o artista de, além de confessar o crime, ainda fazer apologia ao estupro. 

    A sentença desta quarta-feira foi da juíza Juliana Nobre Correia, segundo a qual, como o encontro entre Frota e Mendonça Filho tinha como tema a Educação, Menicucci errou ao fazer uma crítica se referindo a outro assunto. Mas, certa da injustiça cometida contra ela, a ex-ministra manifestou prontamente em seu Facebook a revolta gerada pela decisão. 

    Também pelas redes sociais, diversas personalidades expressaram apoio a Eleonora Menicucci, como as deputadas Maria do Rosário e Benedita da Silva e a também ex-ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres Emília Fernandes, que é presidente do Fórum de Mulheres do Mercosul. 

    "Nós, mulheres do Brasil, estamos solidárias e indignadas com essa decisão, infelizmente, de uma mulher. Nós sabemos o quanto ainda é preciso denunciar a violência contra as mulheres, o quanto ainda de desrespeito às leis no nosso país é praticado no dia a dia", afirmou Emília Fernandes. "Já mandamos essa mensagem para todas as nossas companheiras dos outros países e a indignação é total", completou.

    A decisão da juíza Juliana Nobre Correia ainda cabe recurso.

    Mais:

    Envolvidos em estupro coletivo no Rio são condenados a 15 anos de prisão
    Tags:
    estupro, Benedita da Silva, Maria do Rosário, Juliana Nobre Correia, Mendonça Filho, Alexandre Frota, Eleonora Menicucci, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik