00:19 18 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Luiz Inácio Lula da Silva e Ciro Gomes, em foto de 28 de setembro de 1998

    Entre Lula e Ciro Gomes: Quem será o candidato da esquerda em 2018?

    © AFP 2018 / MARIE HIPPENMEYER
    Brasil
    URL curta
    43235

    O tabuleiro do xadrez político ainda está sendo montado para 2018, mas dois nomes vêm ganhando cada vez mais destaque nas redes sociais como possíveis lideranças da resistência às políticas neoliberais avançadas pelo atual governo Temer: para a centro-esquerda brasileira, todos os caminhos parecem levar a Lula e/ou Ciro Gomes.

    Disposto a disputar pela terceira vez a Presidência da República, Ciro Gomes, pré-candidato pelo PDT, já disse em diversas ocasiões que a eventual candidatura do ex-presidente Lula em 2018 seria um “desserviço” ao país, na medida em que inflamaria ainda mais a divisão “odienta” que rachou o cenário político brasileiro entre “coxinhas”, de um lado, e “petralhas”, de outro. 

    Além disso, o pedetista, que já serviu como ministro da Integração Nacional no primeiro mandato de Lula, critica o ex-presidente afirmando que ele “brincou de Deus”.

    Segundo Ciro, Lula teria de certa forma relaxado com seus enormes índices de popularidade, alavancados em parte por um momento sui generis de bonança na economia mundial, e deixado de avançar reformas importantes quando teve a chance, além de ter confiado em alianças que, posteriormente, se revelaram mortais para o governo petista – a indicação de Michel Temer como vice da presidenta Dilma Rousseff sendo o exemplo mais cabal do argumento.

    Apesar das críticas, Ciro – carinhosamente apelidado de “Cirão da Massa” por seus fãs nas redes sociais – não esconde sua admiração pela figura do petista, a quem reconhece uma “intuição” fantástica sobre os problemas do país, oriunda não de um projeto consistente para o desenvolvimento da nação, mas da própria história pessoal de Lula.

    Lula, por sua vez, também demonstra nutrir grande respeito por Ciro, como ficou evidente em seu discurso de agradecimento ao pedetista na inauguração da transposição do rio São Francisco – projeto idealizado pelo ex-presidente e desenvolvido pelo ex-ministro.

    Ciro, aliás, disse em recente debate organizado pelos estudantes da USP que só não esteve presente na festa em Monteiro, na Paraíba, porque seu filho, de 1 ano e 3 meses, havia acabado de sair de uma cirurgia.

    No entanto, apesar da recente perda de Dona Marisa, Lula tem mostrado ânimo e resolução para voltar à Presidência e “devolver a alegria aos brasileiros”, como tem dito em diversos comícios pelo país. 

    O petista, de fato, tem esbanjado força nas últimas pesquisas de intenção de voto para 2018, e claramente demonstra o poder de catalisar todo o processo eleitoral em torno de si mesmo. Nas redes sociais, as páginas de apoio à candidatura de Lula têm se multiplicado a cada dia. A “Que saudade do meu ex”, por exemplo, tem se destacado pelo uso bem-humorado de memes e vídeos em homenagem ao ex-presidente.

    No entanto, a candidatura de Lula é ameaçada por investigações e processos políticos capazes de levá-lo a uma eventual condenação em segunda instância, o que o enquadraria na Lei da Ficha Limpa, impedindo-o de concorrer em 2018.

    Neste caso, é provável que o ex-presidente apoie Ciro na campanha eleitoral, e já há rumores de uma possível chapa entre Ciro e Fernando Haddad (PT), ex-prefeito de São Paulo. 

    Por enquanto, porém, as perspectivas de uma “frente ampla de esquerda” ainda são nebulosas. Resta esperar 2018.

    Mais:

    Ciro Gomes: Temer 'é golpista', Lula 'se descolou da realidade' e FHC é 'traidor do país'
    Atentado em Londres impede advogados de Lula de fazer denúncia no Parlamento britânico
    Candidatura de Lula à presidência esquenta a chapa do cenário político
    Tags:
    eleições 2018, vice, candidatos, direita, esquerda, golpe, presidente, democracia, Que saudade do meu ex, Cirão da Massa, PDT, PT, Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Fernando Haddad, Michel Temer, Lula, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik