08:28 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O condomínio capacitou 8 seguranças para fazer a captura das serpentes _Arquivo pessoal_Moradores

    Cobras invadem condomínio de luxo em Campinas e moradores vivem drama

    Arquivo Pessoal/Moradores
    Brasil
    URL curta
    190
    Nos siga no

    Parece um filme de terror, mas é realidade. Moradores do condomínio residencial Shangrilá, considerado de alto padrão, no bairro Parque Shangrilá, em Campinas, interior de São Paulo, estão apavorados com a invasão de várias espécies de cobras venenosas dentro e fora das residências. Foram encontradas cascavéis, cobras-cipó, cobras-coral e jararaca.

    O drama vivido pelos moradores começou em julho de 2016. Nos últimos nove meses, a Associação de Moradores conta que foram encontradas cerca de 80 serpentes no local. 

    Esta semana, a situação se agravou, pois uma moradora sofreu uma picada, sendo a primeira vítima registrada. 

    Em entrevista exclusiva para a Sputnik Brasil, a presidente da Associação de Moradores do Condomínio, a publicitária e consultora em língua inglesa, Lorene Scheidt explicou que o problema teve início após um grande incêndio que atingiu a área rural que fica ao redor do condomínio, o que fez com que vários ratos silvestres invadissem o local, um dos principais alimentos das cobras, que por sua vez migraram para a área das casas atrás de comida.

    "O drama é verdadeiro. É um ciclo. Nós tivemos um incêndio de grandes proporções em julho do ano passado e os animais silvestres que habitavam as fazendas, pois nós moramos na divisa com a área rural, se deslocaram e tivemos uma infestação muito grande de ratos silvestres. Eles se alimentam de grãos, mas tem a maioria das doenças que o rato urbano tem. Em decorrência disso as cobras vieram atrás de comida e vieram para cá, porque não tinha comida fora, pois o incêndio foi muito grande e destruiu tudo."

    O incêndio na área rural devastou a região atraindo os animais silvestres para o condomínio
    Arquivo Pessoal/ Lorene Scheidt
    O incêndio na área rural devastou a região atraindo os animais silvestres para o condomínio

    Lorene explicou que a situação é preocupante, pois quase todos os dias são encontradas serpentes no condomínio e que vem contando com a ajuda de autoridades públicas para amenizar o problema. "Como a incidência é muito grande, nós trabalhamos em conjunto com o poder público, pois não temos poder para fazer absolutamente nada. Trabalhamos em conjunto com o Instituto Butantã, a Prefeitura, Vigilância Sanitária, a Zoonoses, o  Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal (DPBEA) da Prefeitura e tudo dentro da lei que eles nos ensinam para fazer, nós estamos fazendo."

    Ratos silvestres invadiram as casas e as cobras vieram atrás, também em busca de alimento
    Arquivo Pessoal/ Lorene Scheidt
    Ratos silvestres invadiram as casas e as cobras vieram atrás, também em busca de alimento

    A publicitária revela que não tem para onde correr ou resolver em definitivo por hora a situação devido aos estragos feitos pelo incêndio onde viviam os animais. Os próprios moradores quase sempre são obrigados a se arriscar para capturar as cobras até os especialistas chegaram devido a grande quantidade de serpentes. Lorene informou que para evitar muitos riscos 8 seguranças do condomínio foram treinados para recolher os animais.

    "Eles (as autoridades) não gostariam que nós capturássemos as cobras, mas como a incidência é quase que diária, nós temos que recolher as cobras  e eles vem buscar. Nós treinamos oito seguranças  para fazer isso. Eles são equipados, com tornozeleiras, ganchos, temos o recipiente onde guarda o animal também. Nós capturamos e o DPBEA vem retirar e eles soltam em um habitat dele para não aumentar o desequilíbrio ambiental, porque o desequilíbrio cresceu rápido e já trouxe as cobras."

    Depois de capturadas as cobras são colocadas em latões e depois resgatadas pela Prefeitura
    Arquivo Pessoal/Moradores
    Depois de capturadas as cobras são colocadas em latões e depois resgatadas pela Prefeitura

    Sem ter muito o que fazer, Lorene Scheidt diz que só resta aos moradores se adequarem a situação, se prevenindo como podem. "É fazer com que o morador tenha ciência do que ele pode fazer para evitar. Não podemos ter entulhos no quintal, não podemos deixar ração de cachorro a mostra, porque o rato vem comer e daí a cobra vem atrás do rato. É bem cíclica a coisa."

    Tags:
    venenosas, cobras, serpentes, incêndio florestal, invasão, Condomínio Shangrilá, Lorene Scheidt, Campinas, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar