05:51 01 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1014
    Nos siga no

    O presidente do Brasil, Michel Temer, fez um pronunciamento à imprensa nesta segunda-feira (13) e afirmou que ministros que forem réus na Lava Jato serão afastados.

    Temer afirmou que qualquer ministro que for denunciado na Lava Jato será afastado. 

    Segundo ele, "se houver denúncia, o que significa um conjunto de provas eventualmente que possam conduzir a seu acolhimento, o ministro que estiver denunciado será afastado provisoriamente". 

    "Depois, se acolhida a denúncia e aí sim a pessoa, no caso o ministro, se transforme em réu — estou mencionando os casos da Lava Jato —, se transformando em réu, o afastamento é definitivo", acrescentou o presidente.

    Temer também negou que o governo exerça algum tipo de influência na Operação Lava Jato e que não pretende blindar ninguém na investigação. 

    "Quero anunciar em caráter definitivo e talvez pela enésima vez que o governo jamais poderá interferir nessa matéria, que corre por conta da Polícia Federal inauguralmente, do Ministério Público e do Judiciário", afirmou Temer.

    De acordo com o presidente, "o governo não quer blindar ninguém e não vai blindar".

    O pronunciamento de Temer surge em um contexto de críticas ao governo por nomear Moreira Franco, citado na delação premiada da Odebrecht, para a vaga de ministro da Secretaria-Geral da Presidência. 

    Com a nomeação, Temer foi criticado de proteger Moreira Franco na Lava Jato, pois o cargo de ministro lhe daria foro privilegiado na investigação.

    Mais:

    Juiz manda tirar do ar reportagem sobre ameaça de hacker contra Marcela Temer
    Diretor do Banco Mundial põe na balança a Lava Jato e o futuro do Brasil
    Moro faz palestra sobre Lava Jato em Nova York e é recebido por protestos
    Tags:
    réu, ministro, Operação Lava Jato, investigação, Moreira Franco, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar