14:40 11 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1447
    Nos siga no

    O governo do Espirito Santo chegou a um acordo com associações de policiais para terminar a greve que provocou o caos no estado.

    Segundo o anúncio do fim da greve nesta sexta-feira (10), se os policiais chegarem ao trabalho às 7h do sábado (11), os oficiais não sofrerão punições disciplinares.

    Apesar do acordo, o governo não se comprometeu a realizar os reajustes da categoria, mas afirmou que vai analisar o cronograma de promoções. Familiares dos policiais, que realizaram o bloqueio nos batalhões e que vinham participando das negociações com o governo, informaram que não foram comunicados do acordo.    

    Em sete dias de paralisação dos policiais, foram registrados 127 homicídios, além de inúmeros saques, arrastões e tiroteios no Espirito Santo.

    Com a ausência dos PMs, a segurança nas ruas foi feita pelas Forças Armadas e a Força Nacional, que chegou a manter 1.783 homens no estado.

    A crise começou com a reivindicação de aumento dos salários dos policiais militares, mas como a categoria é impedida de fazer greve, os familiares dos oficiais foram para frente dos batalhões e impediram a saída das viaturas policiais. 

    Mais:

    Temer: greve da PM no Espírito Santo é inaceitável
    Polícia Civil do Espírito Santo pode entrar em greve em duas semanas
    ES: Greve da PM chega ao sexto dia e número de mortos passa de 100
    Greve no Rio, de novo, é assunto de polícia
    Tags:
    homicídios, caos, paralisação, greve, acordo, PM, Espirito Santo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar