22:06 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    502
    Nos siga no

    O parlamentar do Democratas do Rio de Janeiro voltou a ocupar a principal cadeira da Casa com 293 votos, uma diferença de 188 votos para o segundo colocado na disputa Jovair Arantes (PTB).

    Através de votação secreta, Maia também derrotou os governistas Júlio Delgado (PSB-MG, 28 votos) e Jair Bolsonaro (PP, 4 votos), além dos candidatos de oposição André Figueiredo (PDT-CE, 59 votos) e Luiza Erundina (PSOL-SP, 10 votos).

    O vencedor é acusado de envolvimento de escândalo de corrupção na Petrobras. Segundo denúncias em delações premiadas da Odebrecht, Rodrigo Maia teria recebido cerca de R$600 mil. Nos documentos, ele é citado com o codinome "Botafogo".

    Na tarde de ontem, o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello negou liminar que tentava impedir a candidatura de Maia. Adversários argumentavam que a Constituição não prevê reeleição para a Presidência da Câmara. Mello, porém, argumentou que não há regra definida para mandatos tampões, caso de Maia que substituiu o ex-presidente da Casa, o deputado cassado Eduardo Cunha.

    A vitória representa alívio para o Governo Temer, que precisa assegurar aliados no comando da Câmara para fazer andar projetos de reforma, como a Trabalhista, a Previdenciária e a Tributária.

    Mais:

    Rodrigo Maia – Exclusivo: 'Vim para pacificar a Câmara dos Deputados'
    Tags:
    PP, Supremo Tribunal Federal, PSB, PSOL, PDT, Odebrecht, DEM, PMDB, Celso de Mello, Eduardo Cunha, Júlio Delgado, Jair Bolsonaro, Luiza Erundina, André Figueiredo, Rodrigo Maia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar