03:52 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Supremo Tribunal Federal em Brasília

    Opinião: futuro da Lava Jato é uma incógnita, pois Temer deverá nomear novo relator

    José Cruz/Abr
    Brasil
    URL curta
    Morte do ministro Teori Zavascki (13)
    31585010

    Ministro do STF, Teori Zavascki, faleceu nesta quinta-feira, em um acidente de avião no Paraty. O ministro era o relator da Lava Jato.

    Sputnik Brasil conversou com Claudio Pinho, Secretário Geral da Comissão de Direito Constitucional da OAB e professor de direito constitucional da Fundação Dom Cabral, que comentou sobre o futuro da Lava Jato, após a morte de Teori. O especialista lamentou a morte prematura do magistrado, que era muito querido por toda a comunidade jurídica do Brasil.

    "Esse é um grande pesar para a sociedade jurídica. Pois o magistrado tinha um fino trato com os advogados e muito respeito por questões da área constitucional", disse Pinho.

    Para ele, o futuro da Lava Jato é uma incógnita, pois o novo relator deverá ser nomeado pelo presidente Michel Temer. 

    "Mas o STF passou por uma experiência parecida num passado não muito próximo. O então ministro Carlos Alberto Menezes Direito, que era inclusive do Rio de Janeiro, acabou falecendo no cargo, de câncer. Quem o sucedeu foi o ministro Dias Toffoli. Então com relação aos processos, e à condução dos processos, se permanecer a tradição do STF, vai se aguardar a nomeação de um próximo ministro, que ocupara a cadeira aberta. E ele assumirá a relatoria dos casos que envolviam a operação Lava Jato. Portanto, se permanecer o que aconteceu no caso do ministro Direito, o novo ministro que vier a ser nomeado pelo presidente Temer será o novo relator. Isso deixa uma incógnita sobre o destino da Lava Jato", lamentou o interlocutor da Sputnik.

    Por outro lado, Claudio Pinho lembrou que o STF tem autonomia e tradições, que podem garantir um compromisso e a continuação do processo a curto e médio prazo. 

    "Tendo em vista que algumas situações do processo são urgentes, a presidente do STF, Cármen Lúcia, pode convocar o plenário e decidir se redistribuirá a relatoria dos processos, ou mesmo se ela, como presidente, tomará as medidas urgentes ad referendum do plenário. Eu arriscaria dizer que a solução poderia vir de um consenso com a redistribuição dos casos. Acho que ela não assumiria tudo neste momento. É um momento grave sob ponto de vista institucional, mas acredito que será resolvido com a tradição do Supremo", explicou o professor de direito constitucional.

    Tema:
    Morte do ministro Teori Zavascki (13)

    Mais:

    Teori Zavascki está na lista de passageiros do avião acidentado em Paraty
    Teori Zavascki suspende operação Métis da PF que prendeu policiais do Senado
    Teori Zavascki diz que Brasil está 'enfermo' e precisa de 'remédios amargos'
    Teori Zavascki diz que não há nada a investigar sobre Dilma
    Tags:
    direito, Operação Lava Jato, Supremo Tribunal Federal (STF), OAB, Claudio Pinho, Cármen Lúcia, Teori Zavascki, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik